quinta-feira, 29 de outubro de 2009

LÁGRIMAS NO PARAÍSO

Abro um de meus sites prediletos, e dentre outras doidices, encontro a história de uma adolescente aí pelos seus 15 anos, que fora estuprada por uma turma, sofrera outras violências, e até teve pertences roubados, tudo isso perto de Richmmond, California, EUA.

Reflexo dessa nossa sociedade pós-moderna, a monstruosidade de alguns adolescentes tem origens no seio de lares onde amor é substituído pela mercantilização do afeto, pela mediocridade relacional de gente que não se interessa mais em se aculturar. Ao invés do que muita gente pensa, isso não é exatamente fruto de carência economica, ou algo parecido, porque as pessoas/famílias na verdade têm a opção de se aculturar ou não. Estamos passando em verdade por uma crise de sociabilidade, onde o que importam são os fins, e para o diabo com os meios!

Em paralelo, corre o debate sobre que destino se daria para os menores infratores - lá nos EUA e aqui, no Brasil. Bem, vejamos - se os meninos têm capacidade para penetrar a moçoila, e pensam e planejam isso, eles com toda a certeza têm também capacidade processual! Uma mentira deslavada é se propor que são crianças. Porque não são. Foram empurrados pro mundo dos adultos, seja pela família, seja pela TV (ah, sim! Esse veículo aculturador, que tem ensinado às gerações a enganar, trair, agredir, tirar vantagens...), seja pura e simplesmente pela sociedade em que vivem. E FAÇAM O FAVOR DE TIRAR AS ESCOLAS E OS PROFESSORES DISSO, HEIN?

Pois... que as leis brasileiras sejam atualizadas, para se colocar um torniquete na sangria. Que nossas escolas tenham mais atenção das nossas autoridades vaidosas e contraproducentes. Aí sim!

Enquanto isso não acontecer, nós vamos ficar com inveja dos juízes americanos, e continuaremos a sofrer a ação pusilânime de nossos "menores" infratores.

Boa tarde!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

NEW KIDS ON THE BLOCK

Novamente o Maranhão aparece nas manchetes, e desta vez a bola da vez é uma família chamada Cutrim.

E não é que alguns juízes andaram deferindo levantamento de valores bloqueados sem a oferta de "caução" pertinente?

Um desses procedimentos fora peticionado por um membro da família Cutrim. Nada demais, se não se soubesse que sem a necessária caução o pedido seria considerado deserto. Aí é que me começam a aparecer dúvidas no toutiço.

Acontece que um dos ministros do Superior Tribunal de Justiça do Maranhão também tem sobrenome Cutrim. No Tribunal de Contas daquele estado há outro representante da família. Aí é que a coisa pega - porque pedidos sem respaldo legal foram acolhidos? Será que os julgadores não conheciam a letra da lei, ou foram recomendados a arrepiar o dispositivo legal por ordens de cima? Não inventei a roda, está no noticiário via internet. Confiram!

Mas eu continuo amando esse Brasil corrompido, e torcendo ardentemente para que nossa gente saiba correr atrás dos prejuízos que nossos poderosos de todos os poderes nos causam. Falei!

TERRA NOSSA, SOFRIDA...

A Comissão do Meio Ambiente da Camara está propondo uma anistia de multas e outros efeitos punitivos a todos os proprietários que desmataram ilegalmente, e juntamente com isso, desobrigá-los de recompor as áreas degradadas.

Bem...bem...

Na contramão disso, há um diploma legal exigindo que proprietários averbem suas reservas legais. Diante disso, me parece de uma infelicidade incrível a abordagem leniente e fisiologista (ou vocês duvidam que tem deputado culpado do desmatamento?) da Comissão supra referenciada.

Ora, meus irmãos, então quem vai pagar o pato da ilegalidade descarada? Vai continuar sendo o nosso solo, sendo lavado impiedosamente, os nossos bichos ficando sem habitat, ou nossos filhos/netos, que vão herdar uma terra que não valerá mais nada?

Vocês decidam. Eu continuo enojado da maioria dos deputados e suas tratativas safadas e protetivas de interesses escusos. Que me convençam do contrário. E se não puderem, não me venham fazer colocações ridículas.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PRESSÃO - A PALAVRA DA VEZ

Parabéns, polícia do Rio de Janeiro, pela pressão (que espero não acabe mais), que estão impondo à bandidagem no meu estado natal. Há sofrimento da população - infelizmente - que seria evitado se beeeeem antes, nós, cidadãos de bem, empurrássemos os criminosos pro colo da lei.

Mas o que vejo em toda parte é um esforço enorme das polícias para reduzirem a problemática do crime no território nacional.

Mas aqui vai uma sugestão - talvez eu esteja sendo meio simplório, mas porque não tomamos providências para que armas NÃO CHEGUEM às mãos do crime organizado, ao invés de correr atrás dos pipocos?

Pessoal, as origens são previsíveis. Outra coisa, o armamento da Polícia Militar precisa estar melhor guardado, para evitar aquela coisa horrorosa que acontecera há uns 10 dias, no interior do Nordeste, de criminosos "confiscando" armas à Polícia, pode uma coisa dessas? Pelamor de Deus, SÓ uma pessoa gerenciando o acesso? Sem gestão de segurança, isso é mais fácil do que roubar doce de criança!

Abraço...

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

SARNEY, QUEM DISSE QUE O MARANHÃO TE AMA?

Meus irmãos e irmãs (ia dizer cunhadas... rsrsrsr), estou voltando à velha tecla... Adivinham?

Pois então, aquele cancro enfiado no Senado, que atende pelo alcunha de senador corrupto, está ignorando sua torcida.

Minha amiga Pamela, maranhense de corpo e alma, me diz que NINGUÉM QUE PENSA, no Maranhão, vejam bem... NINGUÉM... suporta mais a família Sarney!!!!!

Pelo menos a galera de Imperatriz, de S. Luiz e outros lugares privilegiados e lindos - porém sofridos por causa da pilantragem geral da politicagem (doença cronica que assola nossa terra, do Oiapoque ao Chuí) - NÃO QUEREM MAIS VER representantes daquela família de chopins no território maranhense. Isso eu ouvi de alguém que é de lá, sofre pelo que rola por lá, e quer mudança...

Pessoal do Maranhão, vamos ter a coragem de recusar dentaduras, colchões, cestas básicas e outros troços em troca de voto! Eu sei que a vida está difícil, mas será MUITO MENOS DIFÍCIL se a família Sarney, de infausta lembrança, parar de influenciar no Maranhão...

Viram a ponte ligando o Maranhão ao Tocantins? Sabem porque ela não saiu em quase 10 anos, e bastaram dois anos de governo mais sério prá ela ser inaugurada? Procurem saber...

Abraço - eu to de volta!

sábado, 10 de outubro de 2009

DO PRESIDENTE E SEU SÉQUITO...

Leio hoje que o Sr. Diogo Mainard lança um livro, compilando crônicas a respeito e eventualmente contra o presidente Lula. E no imbróglio de lançamento do tal livro, dentre outras pérolas, o cronista reivindica para si a precedência para criticar o presidente Lula. "Ele é meu!", reclama o moço.

Bem, bem, bem... para infelicidade de nossa gente e vergonha face aos de fora, há mesmo muita coisa a criticar dos processos do Executivo brasileiro, desde priscas eras.

De igual maneira, o ilustre cronista precisa sobreviver. Entào precisa encontrar substância para seus arrazoados, e tempero para apimentá-los. E a esfera política tem sido pródiga em municiá-lo.

Não, não sou contra o mister do Sr. Mainardi. Outra circunstância me alarma.

O que me perturba sobremaneira é a forma acintosa, muitas vezes chula até, com que o ilustre cronista se refere ao presidente - que até onde entendemos, representa o País. E no comento de excessos administrativos, gafes de etiqueta, desvios de verba suspeitados e/ou comprovados, dê-lhe alcunhas, e dê-lhe expressões de interpretação dúbia, e dá-lhe chacota! Exemplo? confiram o nome do tal livro recém-lançado(não vou colocá-lo aqui)!

Pode ser que o Sr. Mainardi seja um desses sofridos egressos de nossas escolas públicas, que atualmente não ensinam nada (não é por culpa dos professores, notem bem!), ao contrário, produzem ignorantes com diploma...

Ou então, o ilustre escriba sob análise se "deseducara", açoitado anos e anos pela horrorosa modernidade social, irreverente, que tem diluído conceitos de respeitabilidade e honra.

Mas há um porém. As pessoas que de uma ou outra maneira se tornam públicas têm o compromisso de zelar pelo que passam adiante. O que se acrescenta de prosódias chulas ou ácidas é que quem as lê vai amplificar a coisa, e com toda a certeza passa de um plano (político, por exemplo) para outro (relacional, familiar, profissional). Algo assim como o "imperdível" do ilustre ministro de outras eras, que foi adotado pelo povo brasileiro e agora é coisa consumada...

Por essas e outras, não posso apoiar o escriba - ou outro qualquer semelhante, em suas insultuosas colocações a propósito do presidente ou das instituições de Estado, sejam elas válidas ou não. Para combater excessos, ilegalidades e outros bichos há a LEI. E o voto.

Mas falar com a desenvoltura e descaso de um freguês de boteco? Não.

Isso deslustra a figura pública, banaliza conceito de respeitabilidade, e serve de mote para que gerações inteiras se desviem do pouco de ética e educação que ainda temos.

Estou exagerando? Me deem só mais 10 anos... para postarem a reprimenda.

Bom feriado!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O MST E SUAS TRAQUINAGENS

Pasmo, olhava a tela da TV enquanto alí andava um trator revirando pés de laranja de uma linda plantação, no interior de São Paulo.

E o noticiário me dá conta de que é mais uma ação do MST! Uma nova fazenda invadida, e não me venham dizer que aquela terra é improdutiva!

Meus irmãos, sou adepto fervoroso da igualdade social, da distribuição de renda, e de todos esses temas que movem nosso coração, quando comentamos a relação social.

Mas essa palhaçada verdadeira representada por esse movimento tendencioso e oportunista chamado MST PRECISA ACABAR. O que temos presenciado é terrorismo puro, entremeado de vingancinhas pessoais, destruindo sonhos de muitos anos, acobertando criminosos, promovendo assassinatos, fomentando prostituição discretíssima...

Devemos muito disso (obrigado, senhores senadores e deputados federais!) à leniência de nosso Legislativo, ao tratar da questão fundiária e social. Isso é verdade. Aqueles senhores incompetentes (na sua maioria) se reúnem para cuidar de seus próprios umbigos, ou dos interesses de seus apaniguados - vide os ruralistas.

Mas isso não autoriza esses verdadeiros delinquentes, criminosos mesmo, a barbarizarem propriedades de terceiros, na sua imensa maioria produtivas SIM, e que em outros tempos foram cuidadas com muito suor, lágrimas e juros. Não dá a esses "líderes" (faz-me rir nomear gente como Stédile e Rainha de líderes), equipados de caminhonetes novíssimas e celulares, o direito de invadir e PRINCIPALMENTE DESTRUIR o que é dos outros. Se querem fazer algo realmente útil a si e à Pátria, invadam as terras - muitas vezes griladas, pelo que ouvi falar - de senadores e deputados - MAS AO MENOS IDENTIFIQUEM AS NÃO PRODUTIVAS. Aqueles senhores são os responsáveis pelo atraso na política agrária, não aquele produtor de laranja - de passagem, uma commodity valorizadíssima no mundo, de quem foi aquela idéia estúpida de destruir dinheiro, senhores do MST?

ESSA TEMIS IMORAL!!!!!! (MAS NÃO É SÓ ELA...)

? E, atendendo aos anseios da sociedade (só que não), a segunda turma do STF absolveu o Sr. Paulo Bernardi e sua consorte, Sra. Gleisi ...