terça-feira, 6 de abril de 2010

VOCÊ TENTA RECUPERAR UM TRAFICANTE?

Vocês - Srs. políticos (Senadores, Deputados, Vereadores, e outros notáveis) notam a frequência com que o tráfico de entorpecentes aparece na mídia? Claro!

Segunda pergunta - não vamos fazer nada MESMO? Vamos esperar o filho de algum dos Srs. morrer de overdose?

Essa postagem é direcionada PRINCIPALMENTE às autoridades de nossa terra. Quem tem autoridade para mudar leis, endurecer posturas, proteger essa nação de papalvos (em sua maioria) incultos e mal-acostumados, que se vendem por dentaduras, colchões e abraços da "otoridade". Mas que se esquecem de cobrar atitudes, e/ou de coibir a corrupção.

Precisamos endurecer de maneira radical a penalização de traficantes. E não permitir mais a novos apenados coisas como abrandamento de sentenças, regimes semi-abertos, visitas privadas, NADA DISSO! Cadeia é lugar a ser temido, não é escola, infelizmente. Precisamos ser mais pragmáticos e encarar que um traficante várias vezes condenado NÃO PRETENDE mudar de vida. A pena de morte para apenados mais de 3 vezes por crime de tráfico acho que fica de bom tamanho. Que nenhum movimento de defesa de direitos civis venha contra-argumentar. Até quando teremos nossos jovens sacrificados em nome de tratamento benévolo a quem os QUER MORTOS?

Senão, Senhores, tudo isso que os Srs. observam de longe (Brasília, etc.) vai chegar MAIS PERTO, MAIS PERTO. O que nós queremos para o Brasil?

Alguém pode opor que nos EUA a pena de morte não evita o crime, MAS o mantém em níveis ao menos humanos - se pudéssemos dizer assim...

É uma infelicidade, mas esse tipo de criminoso (assim como estupradores e pedófilos) age por instinto, não exatamente em cima de raciocínio. O calor do momento os decide, não o julgamento da situação. Pensem nisso, quando propuserem mudanças na nossa Lei Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A VERGONHA DE PESSOAS SEM VERGONHA - QUEM TEM?

Dizer o que? O STF é incansável, em seu afã desesperado para proteger os "colarinhos brancos" que por lá aparecem. Enquanto...