quinta-feira, 19 de abril de 2012

PARA ONDE VAI NOSSO DINHEIRO III

Ainda que eu explanasse rapidamente alguma coisa a respeito, na crônica anterior, são necessárias algumas luzes adicionais sobre o sumiço da riqueza do Erário.

Então, meus irmãos, eu comentava sobre as propinas distribuídas aqui e acolá, que vão enxugando as fontes. Mas não é só isso, se bem que muito se perde nas propinas, e isso não para desde há algumas décadas.

Donde eu concluo que o Brasil É FORTE. Essa nação tem uma resistência colossal...

Uma outra maneira de os recursos oficiais sumirem é em aposentadorias absurdas, atribuídas a medalhões da política. Assim, temos coisas tremendamente imorais acontecendo em termos de pensões, por exemplo.

Mais uma... consideremos um Judiciário atulhado de trabalho, mas os senhores togados têm 60 (isso mesmo, SESSENTA) dias de férias!!! Puxa, qualquer pessoa quer férias assim tão abundantes! Mas acontece que o trabalho deles fica lá! E projeto de EC existe desde há muito tempo, para reformar coisas no Judiciário que estão prudentemente mantidas fora das votações do Congresso...

O que têm a ver as férias amplas do Judiciário? Acontece que aqueles senhores são regiamente remunerados (penso que é justo, isso). Mas eles precisam trabalhar!!!!! Porque senão... coisas ridículas vão acontecendo, como a prescrição de crimes contra a economia popular, peculato, prevaricação...

Vai daí, verbas malversadas NUNCA SÃO RECUPERADAS! Quem quiser mais informações, pode conferir no excelente blog www.blogdobanu.blogspot.com.br.

Alí inclusive ele registra o quanto o Dr. Nicolau (alguém já o apelidara de "Lalau") recolhera dos recursos públicos - algo singelo como UM BILHÃO DE REAIS. Agora, sabem quanto foi recuperado? Somente 55 milhões! Isso, meus senhores, representa pouco mais de 5% do que fora desviado. E o resto?

Entendem? Nossos "pobres" - eu diria podres - empreiteiros (lembrem-se, há exceções, embora nenhuma me ocorra agora) não estào sozinhos, na tarefa de dissipar os recursos oficiais.

Eu toquei na questão da acomodação dos ilustres togados, para ressaltar que as despesas administrativas de nossos governos são absurdas, absurdamente grandes, sem que seu tamanho se traduza em vantagem alguma para a Pátria.

Para exemplificar - só para o Paraná, nos dois primeiros meses do ano foram liberados pelo governo federal (estou falando só deles, os estaduais e municipais ficam de fora) algo em torno de R$ 250.000.000,00/mes. Ora, isso dá TRES BILHÕES, no ano, se a média for mantida (tende a aumentar, na ocasião das eleições). Imaginem, queridos, o que cada um dos 399 municípios do Paraná  faria com uma fatia proporcional desse bolo! Não existia mais estrada sem asfalto no Paraná (meu Paraná, que me tem abrigado tão bem...).

A isso, acrescentem-se os orçamentos estaduais e municipais, e teremos montantes que fazem a sena parecerem esmola.

EU PERGUNTO - ATÉ QUANDO NOSSA GENTE VAI FICAR ACOMODADA, VENDO ISSO ACONTECER?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...