DE GREVES E DE GENTE INSATISFEITA

Agosto de 2012... Estamos com uma tempestade de greves acontecendo, e o governo da D. Dilma Roussef, que vem conquistando vitórias, apesar dos tropeços da máquina estatal, tem desafio grande, qual seja o de gerenciar demandas funcionais e coaduná-las com limites estatais orçamentários.

Cabe pontuar que não sou contra as pessoas ganharem bem.

Só me deixa sumamente incomodado tentar entender porque o salário de um auditor fiscal da Receita Federal é algo em torno de RS 13.000,00, e o de um professor de ensino médio chega a R$ 2.700,00 (algo assim), enquanto um de ensino fundamental ganha a fortuna de R$ 900,00 (algo em torno disso). Profissionais que "latu sensu" ensinaram tudo o que o auditor sabe.

 Vale lembrar que um professor universitário pode chegar à cifra astronomica (rsrsrsrs) de R$ 4.800,00, ou algo em torno disso!

Claro, não me refiro aos professores da rede privada. Mas estamos chegando onde eu quero com minha crônica.

Nosso funcionalismo público está incorrendo num erro social crasso e comum. Estão partindo pro fisiologismo na premissa "farinha pouca, meu pirão primeiro".

Acontece que as fontes de receita estão sim, com toda a certeza exauridas. Não há mágica que estique um orçamento de despesas administrativas do jeito que todos querem.

Então, onde está o problema?

O funcionalismo, sem dúvida, sabe que o monstro infernal que combale nosso Erário é a corrupção, que campeia em todos os extratos, em todas as áreas de alcance de recursos, e estraga plano após plano governamental de melhoria socio-economica.

Então, estão enfrentando o adversário errado. Enquanto pedem pelos seus salários, numa política de "quem pode mais, chora menos" (haja provérbios), sem palavras estão dizendo - "professores de níveis iniciais, que vocês se éfem'". Estão dizendo aos remunerados por salário mínimo - "danem-se".

Estão fazendo uma das coisas mais odiosas do ponto de vista social - fisiologismo.

Agora, ninguém vai fazer greve para pressionar o governo por licitações limpas, não é mesmo? Ninguém vai fazer greve em frente ao Palácio do Planalto por medidas AQUI E AGORA que melhorem a Saúde, não é mesmo? Onde estão os "caras pintadas", que já tocaram tanto tumulto - por exemplo, na época do impeachment do Sr. Fernando Collor?

Sabem... com muitos serviços públicos acertados e funcionando, QUALQUER salário fica melhor. Se gasta menos com transporte, se gasta menos com saúde, se gasta menos com educação (que o digam, a contrário senso, os proprietários de estabelecimentos de ensino privados).

Se o problema é com o patrão, mas vocês não têm coragem de enfrentá-lo onde realmente importa, deixem esse patrão! Procurem colocação na iniciativa privada, ao invés de mamar nas tetas do governo, e proporcionar aos demais brasileiros - de modo geral, há autarquias que funcionam - um serviço péssimo, onde  se identificam muitos funcionários públicos de uma grosseria ímpar, porque simplesmente são concursados!!!!!

Deixem esse patrão que vocês acham que não os remunera adequadamente. Vão atrás de quem os pague melhor.

Ah, brasileiros, vamos parar de criancices. Dizer que quem ganha R$ 12.000,000 está com salário corroído, e simplesmente ignorar quem precisa viver com R$ 622,00 é insano, imoral e indefensável, me desculpem.

Melhores condições para todos, esse precisa ser o tema de nossas bandeiras. Parodiando um famoso banco, precisa ser "bom para todos".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE MARCHINHAS DE CARNAVAL...

ERROU DE NOVO, SR. MICHEL SAAD NETO!

CURA GAY E OUTRAS IMBECILIDADES EMPURRADAS PELA MÍDIA