"TUDO NA POLÍTICA COLA"

Ontem, 14.08, o Dr. Pierpalo Bottini, ao defender o ex-deputado, "Professor Luizinho", dissera que tudo "cola" nos políticos, prestes a concluir sua peroração em benefício do referido acusado.

Mas é verdade. Cola mesmo. Porque seria?

Se nós passarmos um pente fino no Congresso, ou nas Assembléias estaduais, ou nas camaras municipais, será um arraso de atos de improbidade administrativa, nepotismo, apropriação indébita, não prestação de contas, acusados de crimes contra a vida, operadores de trabalho escravo, lavadores de dinheiro, falta de decôro, favorecimento a particulares ou a empresas... por aí vai.

Dr. Bottini, a problemática é mais profunda do que tão somente o acusatório público. A coisa triste de tudo isso não são os sintomas, é a essência da enfermidade.

Acontece que os políticos envergam esse figurino, salvo raríssimas exceções (Cristóvam Buarque, Pedro Simon, Álvaro Dias, Reguffe - DF, Rossoni - PR, e outros pouquíssimos).

Entende, Dr.? O cliente de V.Sa. não foi exceção, nesse capítulo da história. Quando chegou sua vez de juntar-se à lama, não foi voz ativa, na melhor das hipóteses. Nossa classe política se presta à incompetência, ao locupletamento ilícito, ao desserviço à nação, à prática criminal sem punição - aí inclusive precisam comprar todos que aparecem no horizonte, para perpetuar o manto de imunidade que os assegura, até hoje.

Alguns dizem que o julgamento é político. Se o for, passou da hora de nossos homens públicos tomarem vergonha, e se comportarem. Se for meramente (!!!!) criminal, a justiça não estará fazendo nada mais do que aplicar àqueles senhores o que os brasileiros "comuns" (digamos assim) recebem, quando saem da linha. Simples assim.

Parabenizo V.Sa. pelo empenho em garantir a inocência do cliente de V.Sa., mas o triste é que ele tem culpa sim. Na melhor das hipóteses, volto a frisar, deixou a lama passar em seu entorno, e não disse nada... Isso se chama conivência. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESCOLAS DE DELINQUENTES

ERROU DE NOVO, SR. MICHEL SAAD NETO!

DE MARCHINHAS DE CARNAVAL...