terça-feira, 27 de novembro de 2012

PRECISAMOS CRIMINALIZAR ALGO MAIS?

O que falar de projetos criminalizando o preconceito? O que se pode dizer da grita dos grupos "minoritários" por justiça? 

Precisa mesmo disso?

É prosaico se ressalar que todas as salvaguardas já estão previstas na Constituição! Ora, se há lei, porque se criar mais lei?

O desafio está nos recebedores da lei. Não nela própria.

Se nossa população tivesse a cultura dos japoneses, por exemplo, teríamos muito menos homicídios. Se tivéssemos a educação dos habitantes da península nórdica, crimes violentos seriam exceções raras. Se tivéssemos o senso de respeito à propriedade que centro-europeus, certamente os furtos se reduziriam em muito. Se nosso povo tivesse evoluído socialmente MESMO, não teríamos tantos homossexuais sendo agredidos por aí afora, nem tantas meninas ou mulheres estupradas...

O corolário legal já está pronto. Quem não está pronto é o povo brasileiro, sem nacionalismo, sem amor próprio, sem orgulho de ser gente, de modo geral.

Muitos jovens egressos de nossas escolas (de todos os níveis) acham engraçado ser grosseiro, xingar um homossexual, quebrar coisas públicas. Se acham no direito (?) de andar com seus carros possantes (ou não) com o som altíssimo - de músicas paupérrimas - sem respeitar seus semelhantes...

Muitos dos pais desses jovens acham vantajoso dar propina, estacionar em locais não permitidos, recorrer ao "jeitinho brasileiro" (coisa odiosa) e até, por exemplo, se um professor ousa lhes informar que o filho não vai bem, pode ser destratado e até agredido.

Somos uma nação de milhões de ignorantes que se orgulham de sê-lo!

Criminalizar o óbvio não dá respeito à conduta correta, nem impede a má conduta. Educação resolve nos dois casos...

... de passagem... essa educação começa em casa... vai daí...

Brasil, meu Brasil brasileiro... tua gente não vai amadurecer NUNCA?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...