domingo, 30 de dezembro de 2012

O ANO DE 2013 QUE PRECISAMOS TER...

Final de ano, reflexões mil acontecem, nas cabeças pensantes.

Muitas cabeças jovens/juvenis estão na verdade pensando na próxima balada, nos próximos porres, nas próximas carreirinhas de pó (duvidam? Perguntem aos seus conhecidos...). Alguns, para "salvar a Pátria", pensam em iniciar uma carreira, ser melhores filhos... minoria, podem acreditar...

Muitas cabeças políticas estão dando "tratos à bola", para saber como extrair mais vantagens pessoais da "viúva" (o Brasil), claro. Afinal, essa espécie horrenda, criada nos porões da ditadura, chamada classe política nacional, não pensa em outra coisa (salvo raríssimas exceções) exceto em fisiologismo e seguem o ditado "farinha pouca, meu pirão primeiro." (e olha que eles têm consumido muita "farinha").

Nossos professores (mormente os da rede pública) seguem na discreta, sofrida esperança de que algo mude na realidade de vida deles, porque são OS ÚNICOS que podem mudar o Brasil - nem os políticos podem, a essa altura do campeonato.

Nossas classes A e B seguem esbanjando o que (já) não têm, para mostrar aos outros o que não são. Todos devidamente dominados pela mídia impressa e televisiva, especialmente (já há um pouco de dominação da internet, não se enganem...). E escapam da (o)pressão social circunjacente viajando para paraísos exóticos ( Bali) ou comerciais, como Miami - meros exemplos.

Nossa classe C segue ordeiramente - com uma submissão de acéfalos, verdadeiros zumbis - sustentando toda a estrutura (ou vocês acham mesmo que as classes A e B são fiéis nos seus impostos, taxas e outras obrigações? Quem paga tudo direitinho é quem não tem dinheiro para comprar a liberdade, a paz, a segurança!).

As classes seguintes continuam dependendo totalmente do Estado paternalista em que o Brasil se tornou, sem futuro, sem expectativas de melhora, copiando em seu dia-a-dia modelos estrangeiros - músicas de letras estúpidas, roupas baratas que foram feitas EXATAMENTE pra eles, embora desenhadas por figurinistas de outros contextos sociais, novidades dietéticas saídas não se sabe de onde (dizem que o Brasil tem 49% da população vítima de obesidade - devem ter esquecido de considerar alguns rincões do Nordeste), programas de TV  de estupidez absoluta (como BBB, Fazenda, programas de humor baratos e chulos) - e vão se estupidificando numa espiral decrescente. Não por acaso temos tanta violência contra homossexuais, mulheres, tanta violência gratuita no trânsito...

Notam os sinais da "evolução" social no Brasil?

Sra. Presidente Dilma Rousseff o Brasil que precisamos ter deve ser assim:

- SEM políticos corruptos - se eles forem desmascarados, PRECISAM ser defenestrados;
- COM política de Saúde realmente SÉRIA, que atenda nossa gente, não importa sejam ricos ou pobres (não funciona assim no Canadá? Porque não funcionaria aqui?);
- COM escolas decentes e professores de dignidade restaurada, pois EDUCAÇÃO (fundamental, acadêmica) é o único meio capaz de mudar o pensamento de nossa gente - nada mais o fará;
- COM segurança confiável, banidas PERMANENTEMENTE as autoridades corruptas - sejam policiais, juízes, desembargadores, ou quem estiver manchado pela sujeira da corrupção;
- COM banimento das organizações criminosas, sua desestruturação, e trabalhos forçados para quem tenha penas de mais de 5 anos - atualmente nosso sistema penitenciário nada mais é do que hotéis (péssimos) públicos! Onde já se viu isso?;
- COM vigilância REAL sobre nossas riquezas naturais (matas, fontes de água, minas de Nióbio, por exemplo) e ordenamento da exploração de ditas riquezas - SEM PESSOAL para isso? Coloquem o Exército, que sempre acode, quando precisa. Aliás, a caserna precisa ser melhor tratada, Excelência! Não se trata nossos "cães de guarda" (fiéis e ordeiros) a tapa.
- COM MENOS RAPAPÉS para as nações interesseiras que nos olham com avidez de aves de rapina, sejam socialistas ou capitalistas. Quem quer ver nossos ossos não quer o nosso bem;
- COM MENOS PATERNALISMO - como dissera o poeta popular "uma esmola, a um homem que é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão."

Então, Sra. presidente, vamos fazer uma forcinha? O povo que elegeu V. Excia. está sofrendo, Sra. Rousseff. Não foram os políticos, nem os ricaços - foram as classes C, D e E que elegeram V. Excia. Porque ignorar esses milhões?

Brasil... te amo... e quero ver você melhor no ano de 2013...

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

NA SURDINA...

Conforme noticiado no jornal "O Estado de São Paulo", as obras para REFORMA do estádio de Brasília, para os jogos da Copa do Mundo, que originalme nte estavam estimadas em R$ 650.000.000,00, já ultrapassou UM BILHÃO  de reais, e promete subir mais.

Isso consta do novo orçamento da matriz de (I)responsabilidades para a Copa do Mundo de 2014, conforme está publicado no D.O.U.

Responsabilidade... qual será mesmo o sentido disse vocábulo?

Quando temos um ex-presidente que não sabia de nada do que seus íntimos faziam... quando se sabe que pessoas de elevada importância na República fazem e desfazem, e fica por isso mesmo...

... quando se sabe que as empreiteiras entram em licitações, vencem, iniciam as obras, e depois as paralizam, JÁ COM O DINHEIRO no bolso (naturalmente)...

... quando apagões acontecem porque equipamentos estavam desativados, e/ou o pessoal do plantão não sabia como restaurar a normalidade do fornecimento de energia elétrica...

... quando temos uma enxurrada de "bolsas" (empurrando a responsabilidade real pelos desafios sociais)...

... não nos parece que a palavra RESPONSABILIDADE perdeu sentido?

Isso sem considerarmos que, por exemplo, o estádio do Grêmio portoalegrense custou aproximadamente R$ 540.000,00, para ser construido... nao reformado, entendem?

Sra. presidente, Sra. Dilma Roussef, esta ficando cada vez mais dificil acreditar nos calculos que o governo federal e os estaduais fazem e/ou projetam...

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

PORQUE NATAL?

Hoje, dia 25.12.2012, muita gente está falando sobre o Natal, e vão igualmente fazendo votos a familiares, etecetera e tal... Eu não poderia me furtar ao tema, óbvio.

Mas meu enfoque será nas motivações.

Porque essa festa é tão badalada? Uma curiosidade interessante é que, na maioria dos estados do Nordeste, as festas juninas rivalizam em importância (eu ouso dizer que são até mais comemoradas) com o Natal.

Tendo em vista o declínio de importância que a fé cristã tem experimentado ao longo das últimas décadas, com a miscigenação contínua com outros cultos e manifestações religiosas, bem como o avanço do islamismo, comp explicar a importância do Natal, que é originário do dito cujo cristianismo?

CAPITALISMO. É essa a palavra de ordem, orquestrando tudo. As grandes redes fazem reuniões para traçar estratégias de como atrair clientes, os supermercados discretamente elevam os preços de muita coisa, quinquilharias de toda sorte chegam às toneladas...

Pessoas, não me entendam mal. Nasci sob a égide capitalista, gosto de muitos de seus aspectos, me beneficio das benesses do modelo econômico que se revelou o mais eficiente pelo mundo afora.

Mas me causa uma certa repugnância ver que os fundamentos de fé das pessoas são usados para fazer girar a economia, para enriquecer alguns oportunistas...

Causa-me espanto o motivo principal do evento natalino ser sistematicamente eliminado da equação social, entendem?

Ofende minha inteligência saber, por exemplo, que o personagem mítico do Papai Noel tem as roupas na cor que conhecemos, porque uma certa marca de refrigerante pretendeu um golpe publicitário.

Me dá nos nervos observar que muitas pessoas fazem aquelas peregrinações medonhas, pelas lojas, só para mostrar que se lembraram de alguém (com um presentinho) - quando em verdade passaram o ano inteiro ignorando o dito "alguém".

E quem há de negar que "White Christmas", na voz do fantástico Bing Crosby, está totalmente vinculada aos sistemas de som de alguns supermercados? Coisa mais surreal (imagine você escolhendo batatinhas - o que há de Natal nisso?), e que se acresça que "Natal Branco" só acontece no hemisfério norte!!!!

Nào, não perdi o encantamento com o Natal. Gosto demais de estar com as pessoas que considero, especialmente familiares, e desfrutar daquelas horas de congraçamento e atualização de novidades.

SIM, odeio a vinculação comercial. Presentes? Gostaria de os poder dar a qualquer momento do ano, e demonstraria de maneira bem mais natural meu apreço pelos presenteados.

Fé? Algo muito pessoal, mas preciso de algum tempo TODOS OS DIAS (e não somente no Natal), para relembrar o PRESENTE incrível que Deus concedera aos homens - não importa se foi em dezembro ou em qualquer outro mes.

domingo, 23 de dezembro de 2012

ANIMAIS SOCIAIS E SEUS ATOS ANIMALESCOS

O velho Aristóteles, do alto de suas ponderações sobre a existência humana, pontuara que "o homem é um animal social".

Bem, bem... o sábio fizera essa colocação em benefício da idéia de que o gênero humano buscava sempre a associação, a vida em grupos, o hábito gregário, e que por essa tendência constituiria as greis, e essas desenbocavam nas "pólis", e por aí vai.

Mercê da relativização das liberdades individuais (ou seu significado levadoa limites extremos), tem-se que hoje em dia tudo é possível. Prova disso são as hordas de jovens/adolescentes incultos, ignorantes, estúpidos mesmo, que as escolas brasileiras despejam todos os anos no caudal social. E aqueles raros, esparsos exemplos que ousam não se moldar ao figurino dos tempos modernos, são rotulados de caretas (se respeitam mais velhos, por exemplo), CDF (se resolvem estudar para passar, ao invés da horrorosa instituição "aprovação automática), etc e tal...

Me deparo, nessa manhã luminosa de domingo calorento, com a notícia de que manifestantes estão protestando na Índia, depois de uma jovem de 23 anos ser estuprada, repetidas vezes, por seis homens, dentro de um onibus, e após isso jogada do veículo.

Órgão de análise dos crimes naquela nação longínqua reporta que uma mulher é vítima de violência a cada vinte minutos, por lá.

Aqui no Brasil a coisa não é muito diferente, não tenham dúvidas, meus irmãos e cunhadas. Por causa da estupidez do machismo, então, eu suspeito que tenhamos estatísticas ainda mais encorpadas e infames.

Notaram como o conceito "animal" da tese aristotélica aflora?

Sabem, pessoas, precisamos mudar nossa mente (grego metanoein), se quisermos MESMO que nossa sociedade sobreviva.

As pessoas precisam (re) aprender a se respeitar mutuamente. Precisamos, antes de acessar nossas liberdades, saber os limites da dita cuja. Algumas dicas vão aqui (espero que pelo menos 20 jovens as leiam, e passem adiante!):

- entender por exemplo que uma bela mulher, bem vestida (ou não) não é um objeto (pode até ser tua irmã, cara!);

- amadurecer que alguém com preferências afetivas diferentes das nossas não é criminoso;

- redescobrir a importância capital dos idosos para a sociedade, e respeitá-los;

- reconhecer que SÓ o conhecimento liberta MESMO. Que é estupidez ignorar o conhecimento (aliás, por essas e outras é que muitos postos de trabalho de categoria - no contexto nacional - estão sendo ocupados por estrangeiros, melhor preparados academicamente).

Essas medidas são necessárias, para que resgatemos o conceito de "social". Afinal de contas, como a palavra insinua, somos "sócios" num mesmo empreendimento.

NADA justifica a ignorância social. NADA justifica a violência. Sobretudo, NADA JUSTIFICA que nos transformemos em bestas (nem traumas psicológicos, podem escrever).

Quero o Brasil mudado. em todos os sentidos. E torço para que a mudança (que já está ocorrendo, certeza) se acentue em 2013.

QUE VENHA O ANO NOVO. ESPERO MANCHETES COM MENOS CORRUPÇÃO, MENOS VIOLÊNCIA, MENOS MENTIRAS PÚBLICAS...

sábado, 15 de dezembro de 2012

ESTÃO FILMANDO? O CORREIO NOS OFERECE OUTRO VEXAME!!!

Mas então, como já comentado inclusive, aqui, os Correios reclamaram da empresa DHL estar entregando os passaportes processados pelas autoridades norte-americanas. Alegaram que o Correio tinha exclusividade do tráfego de tais documentos, etc e tal.

Agora temos passaportes até à tampa represados, centenas de pessoas já começando a tomar prejuízo, as autoridades americanas se limitaram a obedecer (aliás, eles nos dão lições maravilhosas em termos de obediência - nossa gente e nossas autoridades precisavam aprender um pouco mais sobre civilismo), e os Correios? O que dizem?

Quem quer que seja que levantou a "feliz idéia" de atravessar o serviço (muito bom) da DHL, deveria agora vir a público e dizer o que tem em mente para resolver os problemas que sua falta de juízo causou.

Espero que venha com a solução ao menos uma semana ANTES DO NATAL.

Mas, senhoras e senhores usuários desse primor que é o serviço dos Correios, vocês podem - claro - processar a empresa, pelo atraso. Afinal, a culpa será de quem? Dos americanos, que obedeceram (claro que não!), da autoridade judicial que acolheu o petitório dos Correios, dos traficantes (está na moda colocar em cima deles a culpa por problemas...), ou de quem mais?

Digo e repito - incompetentes gerindo uma máquina defasada, só poderia dar nisso. Duvido que tenham sequer realizado estudo sobre o impacto da nova atribuição sobre as rotinas (já sofríveis) dos Correios.

DE PASSAGEM ... não me refiro àqueles abnegados, que gastam tempo e sola de sapato, para entregar o que lhes é passado. Estou criticando É A CÚPULA dos Correios. Carteiro é mais uma vítima, do que um agente.


quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

GROSSERIAS SUL-AMERICANAS

Hoje o São Paulo logrou se tornar campeão sul-americano. Muita festa nos arraiais tricolores. Congratulações!

Verdade, o adversário, Tigre, da Argentina, não teve a nobreza esperada. Quando recebeu os sanpaulinos em solo argentino, "abriram a caixa de ferramentas", e bateram solto (acho que só o árbitro e os bandeiras não apanharam...).

Se esperava que se redimissem do vexame da pancadaria lá fora. Mas fomos frustrados. Após um primeiro tempo de botinadas cruéis, os atletas do Tigre saíram do gramado, no intervalo, e decidiram não mais voltar, com uma história nebulosa que, aparentemente, não colou.

Sabemos que os embates entre times argentinos e brasileiros têm sua quota de voluntariedade, de virilidade, mas ultimamente temos observado muita compostura, de lado a lado. Nossos "hermanos" são viris, mas de maneira geral, marcam de forma leal, embora dura. Não batem.

O Tigre não honrou as cores argentinas. Foi de uma grosseria, de uma falta de "fair play" absoluta, em todo o tempo (lá como aqui). Merece meu desprezo.

Como também merecem meu desprezo as centenas de torcedores do São Paulo, que invadiram o gramado a pretexto de comemorar. ISSO ESTÁ ERRADO.

Imaginem se alguém sai ferido dali? Fatalmente o clube pode ter alguma penalidade da CBF ou da própria FIFA, quando não processos por injúrias físicas...

Nós, brasileiros (e no caso, os torcedores do São Paulo, embora não apoie essas manifestaçoes NUNCA), demos uma demonstração ímpar de como somos grosseiros, como somos deselegantes, como somos primitivos em nossas manifestações de regozijo.

Se comemorar representar arrebentar alambrados... se ficar alegre representa desrespeitar autoridades... se celebrar um título representa quase desnudar um atleta, a  pretexto de ter um souvenir..., PAREM O TREM QUE EU QUERO DESCER.

FIQUEI ENVERGONHADO. Envergonhado pelo time do Tigre, que NÃO REPRESENTA o nobre povo argentino, nem seus atletas de escol - já os tivemos tantos por aqui!!!

Fiquei envergonhado pela grosseria de uma torcida que não sabe se comportar, e certamente produzirá muita dor de cabeça aos organizadores da Copa do Mundo (e isso NÃO É ENGRAÇADO, podemos ter muitos prejuízos, incluindo o financeiro).

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

FIGURINHAS CARIMBADAS SAINDO DO MONTE...

Nossa nação brasileira assistiu a um espetáculo jamais visto no país.

Políticos e seus 'adidos" civis sendo incriminados, processo criminal instaurado, e finalmente algo que se sentiu em todo o lugar - uma lufada de justiça, que sem dúvida bafejou até o exterior.

Mas... algo que sempre me embatucava... o Sr. José Dirceu, pretensamente o cérebro do episódio rotulado de Mensalão, É AMIGO do nosso ex-presidente Lula. Os descalabros cometidos o foram para assegurar maioria que apoiasse a Presidência...

Ora... COMO É QUE O HOMEM NÃO SABIA DE NADA?



Acontece que - como dizia Tancredo Neves: "Segredo entre duas pessoas, só se matando uma delas." - um dos condenados sentiu a dureza de ir ao cadafalso, quando gente importante estava passeando pelo mundo, e resolveu literalmente "botar a boca no trombone."

Afinal de contas, o que o Sr. Valério tem a perder? NADA. O que tem a ganhar? Pelo menos dá uma limpadinha na imagem, diante de seus descendentes, parentes e amigos... MAS, principalmente, ele apresentou uma apólice de seguro de vida (ou de morte, como o queiram). Ele ficou com medo de morrer, podem escrever.

Pessoas, o homem é um arquivo vivo. E mais cedo ou mais tarde essa ficha iria cair para alguns poderosos sem escrúpulos, que não hesitam em ceifar vidas (lembram-se do Sr. Celso Daniel?). Eles não poupam nem gente de seus quadros!!!! E que ninguém me perturbe nessa análise, eu só junto pontos do quebra-cabeças.

Sr. Valério, as transgressões de V.Sa. serão purgadas, claro. Mas porque tomar sobre si o fardo de TODA A CULPA? Afinal, quem urdiu a coisa toda e/ou teve proveito dela precisa comparecer!

SOLTE O VERBO, prezado. A nação, que já está enojadíssima dos políticos corruptos que temos, agradece.

Juntemos às figurinhas corriqueiras, mais comuns, aquelas que valem MESMO no jogo. Afinal de contas, são essas figurinhas carimbadas que fazem o jogo tão perverso para quase 200 milhoes de brasileiros.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

PARA UMA MOÇA DE BLUSA AMARELA


Recentemente fui convidado a participar de um festival comemorativo de data importante, numa cidade dessas milhares que temos no chão brasileiro.
O espetáculo começando, com representações belas, crianças dançarinas, criatividade... belas performances, preciso pontuar.
Em meio às fileiras de poltronas do anfiteatro lotado, pelos corredores, o que temos? Um simpático cãozinho, um vira-latas , com coleira, aparentemente bem cuidado, corria de lá para cá, se sujeitando aqui e acolá aos flashes de algumas cameras fotográficas, eventualmente se assustando, talvez imaginando a razão de tanta gente em derredor, e que nada obstante, nem lhe faziam um afago...
Ao notar a presença de nosso "convidado" de quatro patas, não pude deixar de imaginar o descuido com que algumas pessoas tratam seus animais de estimação - certamente ele fora alí atrás do cheiro de seu/sua dono/dona, e agora se vê em meio ao tumulto do show (lembrem-se, ele portava coleira). Mas não me causou maior estranheza. Só isso.
Bem... pouco depois me levantei, para tomar um pouco de ar e, no saguão do prédio, encontro à entrada... quem??? Nada mais, nada menos que o canino visitante, se preparando novamente para entrar no recinto. Ingenuamente pretendi manter o animal de fora, tangendo-o (antes que enxotando) com palavras baixas e sinais de mão. Ingenuamente, eu dissera...
Você, moça bela da camiseta amarela (faco essa menção porque você não quis se identificar para mim), me repreendeu. Talvez porque pouco antes, segundo teu relato, alguém usara de crueldade, ao expulsar o animal. Mas eu não era essa pessoa. E tampouco usei de crueldade. Só entendi que o lugar não seria adequado para um animal - como não seria igualmente para uma serpente, um urubu, ou uma onça pintada... aquele cãozinho estava fora de contexto, tanto quanto esses outros espécimes estariam.
E você, sem titubear, sequer considerando minha idade algo superior à tua, não deixou barato. De forma voluntariosa, que alguns chamariam agressiva, fez-me ver o meu lugar, que sem dúvida não era alí - "não sei quem é o Sr., mas não sei o que está fazendo aqui, vá para tal lugar..." De nada adiantou minha ponderação tranquila que o ponto não era exatamente O CÃO, mas a circunstância.
Cumpri meu papel no evento, me retirei, e vim pensando em você.
Em você e nos milhões de jovens de idade pouco diferente da tua, para cima ou para baixo, que estão crescendo e evoluindo num mundo tão surpreendente, tão cheio de recursos e liberdade!!!!
Num mundo em que as liberdades são relativas, em que o que importa é o que "eu penso" e "os outros que se 'efem'". Num mundo em que tudo é tão rápido ao nosso redor que até pensamos que estamos evoluindo!
Vocês estão sendo apresentados à maturidade muito rápido, e muitos sensos de valor estão sendo atropelados. Então, na verdade é o tempo que está passando rápido, não somos nós que estamos evoluindo - a representar "Roda Viva" (Chico Buarque, 1967 - você nem era nascida, e o poeta já falava dessas loucuras do tempo passando por nós!!!!).
Ao invés de você me inquirir com urbanidade, preferiu o discurso do enfrentamento. Ao invés de mostrar com serenidade teu ponto de vista, preferiu ser agressiva (e olha que eu nem gritei com o animal, nem o agredi!!! Imagina!). E você sequer me conhecia... imagino o que faça por exemplo à tua mãe, que tão prontamente entrou em cena para te "defender" (contra o que, não sei...).
Não minha senhora, não quis colocar nenhum rótulo na tua bela filha. Até porque ela não é culpada de nada - é vítima desse mundo insano, em que bichos valem tanto, mas tanto, que se briga por eles (está certíssimo, mas tua filha não pôde nem poderia ver minhas lágrimas ao testemunhar um animal agonizante, também não leu de minhas crônicas em que repugno maus tratos aos animais). Tua filha, querida, aprendeu a lição do "bateu, levou", ainda que eu nem tivesse "batido". Não levantei a voz uma vez sequer, mas fizeram isso contra mim. Não ameaçei ninguém, mas me ameaçaram  -"se o Sr. colocar minha filha no seu blog, vai pagar por isso!(sic)".
Com animais não entendem algumas posturas nossas, o dito cujo cãozinho pouco depois estava novamente lá dentro, todo faceiro. Eu? Não me importo. Continuo achando que há locais e locais, e que nossa leniência com a desordem nos tem encaminhado a precipícios sociais perigosos.
Alguém pode dizer que essa é a maneira brasileira de ser ("vá para Hollywood!" foi a recomendação que ouvi...), mas o que eu vejo na verdade é pobreza. Pobreza social, pobreza cultural, pobreza de padrões de cultura e civilismo.
O cachorrinho? Não tem nada a ver com isso. Queria ver como você, moça bela da camiseta amarela, iria lidar com uma serpente de jardim, inofensiva, uma falsa coral, passeando por aqueles arredores.
Duvido que me trataria com tamanho desdém.
Em tempo, não confunda correção do que se faz com propriedade em fazê-lo. Outra coisa, me identifiquei, porque não tenho porque me ocultar. Quando podemos defender nossos pontos de vista, não precisamos nos ocultar.


sábado, 1 de dezembro de 2012

JD... E SUAS ESPERNEADAS...

Pessoas, eu me sinto muito desconfortável com esse negócio de proximidade do poder e suas derivações.

Claro, é chover no molhado, mas as relações no âmbito do poder político, na sociedade ocidental, especialmente no contexto de uma democracia, deveriam ter decência mínima, ciosos os operadores de dito poder de que foram eleitos para tal e, em sendo eleitos se tornam vidraça. Ademais, assiste aos eleitores o retorno de respeito pela confiança depositada.

Mas então, temos coisas horrorosas acontecendo na política brasileira, desvios de conduta e recursos, carreiras sendo construídas em cima de outras, sendo esmagadas... e de permeio um desrespeito absoluto a todos os níveis da sociedade organizada, para espanto e escárnio da comunidade internacional.

Não somos o pais do futuro. Somos mais um país da propina, de mulheres de amplos traseiros, de políticos abrindo contas em paraísos fiscais, de iniciativas artísticas discutíveis (OK, "Tropa de Elite" e "Meu nome é..." são exceções honrosas, dentre pouquissimas outras)...

Então, temos uma mulher de segundo escalão do poder, literalmente mandando na "casa de noca", chamando as pessoas pelos primeiros nomes, e dispondo do poder alheio como se fossem ferramentes usuais.

E aí me vem um tal de JD e reclama que estão falando demais, etc e tal... Sr. José Dirceu, talvez o projeto de V.Sa. até tenha sido grandioso, mas foi urdido de maneira imoral, e começaram a erigí-lo à custa da respeitabilidade vendida de alguns...

Não me venha falar em "corda" em " casa de enforcado". O Sr. não está exatamente fora da casa... acho que muitas carreiras políticas foram enforcadas...

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...