segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

PESSOAS MAGOADAS!!!!! E PODE?

O deputado Marco Maia, ao se despedir do cargo de presidente da Assembléia Legislativa, aproveitou a tribuna para desferir amargas críticas ao seu redor.

Indicou estar tomado de mágoa inaudita, pelo que considerou de afrontoso à Casa, vindo da imprensa e (pasmem!) do STF.

Como o tema é importante para todos os brasileiros, esse negócio de a imprensa e o STF estarem "oprimindo" o Legislativo, decidi realçar alguns tópicos da fala de S. Excelência, que transcrevo a seguir, com minhas singelas notas...

"Faço questão de ressaltar que não há como deixar de manifestar minha mais profunda preocupação com as interpretações circunstanciais de nossa Constituição por parte do Judiciário, responsável tão somente por sua guarda, mas que tem se arriscado a interpretações que só ao Legislativo cabem, atitude muito preocupante, que segue exigindo postura muito enérgica e intransigente por parte do legislativo", afirmou.

COISA MAIS FEIA isso do STF!!!! ficar judiando do Legislativo!!!!

Mas então, Excelência, sabe porque o STF tomou as atitudes que tomou? EXATAMENTE porque o Legislativo atualmente não se comporta como deveria.
Simples assim.

Sistematicamente estamos sendo esbulhados em nossos impostos, traídos em nossa confiança no voto dado. Mas os senhores, deputado, prosseguem, nos ignorando. Foi por isso que o STF teve a coragem que nos surpreendeu, de desbancar alguns criminosos, que andam pelos corredores da Assembĺéia.

Interpretação circunstancial da C.F.? Como assim? E esse fisiologismo infernal que campeia aí dentro, não está interpretando a C.F. a seu bel-prazer? E a Lei da Ficha Limpa, que foi calcada na presunção de idoneidade do parlamentar, e está sendo solenemente ignorada? Quem está interpretando de modo fisiologista a Lei, Sr. deputado? o Congresso (algo perto de 700 pessoas, fora os apaniguados), que dá jeitinhos para que as "moscas" se mantenham sobre a "sopa" (que está virando estrume já...) ou o STF que (um punhado minúsculo de homens de vida inatacável), cujo único pecado foi exatamente CUMPRIR A LEI?

"...sempre exigindo postura muito enérgica e intransigente por parte do Legislativo..." - O que é isso? Então, a contrário senso, V. Excelência está insinuando que o Legislativo DEVERIA SER MAIS TRANSIGENTE?

MAIS????

Ser intransigente, na avaliação de V. Excelência, não seria, por exemplo, acolher dentre os diplomados alguém condenado por crime "do colarinho branco"?

Se intransigente não seria, por acaso, acolher em suas fileiras pessoas acusadas de crimes contra a vida (vide as pessoas morrendo em alguns estados do Nordeste - não quero citar nomes), o meio-ambiente (vide um certo senhor, erguendo literalmente castelos em áreas de preservação ambiental - ilhas, por exemplo*), desviando recursos que poderiam salvar vidas...  para suas terras (vide vosso ilustre confrade Inocêncio de Oliveira...).

Observe, Excelência, que TODOS os casos levantados, historicamente, ou aconteceram pela grita popular, pela Procuradoria da República, ou pela ciumeira de algum partido "nanico".

Permitir essas coisas acontecendo não seria transigência, Excelência?

"Uma nação democrática não pode prescindir das contribuições do Poder Legislativo. É com profunda indignação e repulsa que ainda vemos setores da sociedade e da grande imprensa questionar a existência do Poder Legislativo. Não podemos compactuar com questionamentos dessa natureza…"

Não podemos prescindir das contribuições do Legislativo. ESPECIALMENTE DAQUELAS QUE FAZEM DIFERENÇA. Contribuições para crescimento da Pátria, para enriquecimento justo de nossa gente. MORALIDADE, TRANSPARÊNCIA, RESPEITO AO ELEITOR.

Mas há outras contribuições, Excelência. Há os impostos, de que os Srs. congressistas são liberados. Há a contribuição previdênciária, que se fosse proporcional ao salário de Vv. Excias. ajudaria muito a reestruturar nosso combalido sistema previdenciário.  Há as despesas regulares de todos os demais mortais (energia, água, telefone, dentista, psicólogo, etc. e tal) que nós do povo precisamos espremer de nossas rendas (aqueles que às tem) e vocês espremem DE NÓS...

"...A maior fonte de expressão da opinião pública não se concretiza em editoriais de jornais. A maior expressão da vontade popular está representada nessa Casa"

ERRADO, Excelência. Atualmente a maior fonte de expressão pública está mesmo na internet, na TV, na mídia de todas as fontes. MENOS dentro das casas do Congresso. Acontece que, devido a um erro cruel da nossa torcidíssima democracia tupiniquim, o voto É OBRIGATÓRIO. Então temos papalvos que se vendem por um travesseiro, uma geladeira, uma dentadura... E ELEGEM OS SENHORES!

Pessoas simples demais, que nem conseguem assinar, são jungidas às seções eleitorais que eles nem sequer imaginam como funciona e, porque o "seu dotô" (muitas cabeças grisalhas/calvas do Congresso sabem do que estou falando!!!) mandou, eles marcam um "x" na frente de um número que escreveram em suas mãos encarquilhadas. E GENTE QUE ELES NUNCA VERÃO PESSOALMENTE, muitas vezes (VOCÊS) CHEGA LÁ, entendem? Vocês não os representam.

LADRÕES, IMORAIS, ESCROQUES DO ERÁRIO NÀO NOS REPRESENTAM, deputado. Chegam lá porque nossa gente é muito ignorante, ignorante demais para não exigir as cabeças de Vv. Excias (não numa bandeja - um sonho de muitos, mas cassados).

Friso que há exceções honrosas, nunca me cansarei de mencionar os nomes de alguns senadores e deputados (federais, estaduais e distrital), que enaltecem a figura de homem público no Brasil.

Mas o resto? São meros publicanos... para muito além da acepção bíblica da palavra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...