FALTA DE RESPEITO CRÔNICA

Estamos assistindo, ao longo dos últimos 60 dias, eu diria, um embate titânico entre os poderes Legislativo e Judiciário. O Executivo, timidamente, vai conferindo quem está na vantagem, quem apertou os "calos" do Planalto... não faz muito mais.

E nem pode fazer, sob risco de se expor à falta de respeito grassante entre nossas lideranças de Brasília.

E não há outra maneira de isso ser rotulado - falta de respeito. Vejamos.

Até então todos cultivavam "respeito" (tipo 'não me tocas, te respeito') em relação ao Judiciário. Mas bastou a AP 470 mexer no vespeiro parlamentar, e com isso acenar com novas investidas contra os nobres parlamentares, para a "quadrilha" (dança folclórica nacional, não tem nada a ver com o significado paralelo) se iniciar. Os "intocáveis" se agitaram, e começou a "vendeta".

E sob a música agitada que se seguiu, dois condenados na AP 470 foram alçados a posições na CCJ! Num outro acinte contra a justiça, um certo senador tem "esquecido" seu passado, e alçado a posição importante no Senado Federal. Mas isso ainda não era o bastante.

Empurra-se para cima do Judiciário reformas estruturais, com a criação de mais 4 TRFs. Não importa, nesse momento, se são necessários (dizem os práticos da matéria que SIM, e eu concordo parcialmente, pelo que conheço a respeito). O que cabe considerar é que isso É DECISÃO do Judiciário, não do Legislativo! E então, ninguém fala sobre as despesas emergentes, nem sobre estudo de viabilidades. O que se quer é MANDAR NO JUDICIÁRIO.

Nada obstante, a coisa foi obstada praticamente no nascedouro. Virá à baila com certeza adiante, mas dessa vez suportada por quem deve fazê-lo - o poder instituído para tal.

Surgem em cena PECs estranhas, como a 33/11 e a 37/11(alvo diferente, finalidades semelhantes - amordaçar), não por acaso, claro... mas há mais farpas...

Aproveitam-se do temperamento algo forte do presidente do STF para colocar em xeque (podem conferir na mídia escrita, à qual a mídia televisiva alegremente se aliou) a seriedade daqueles senhores togados, que lograram chegar até onde estão por indicações sim, mas também por méritos próprios, e merecem um mínimo de respeito. Muito poucos parlamentares sequer chegam à soleira do preparo daqueles juízes, vamos com calma, pessoal!

Falta respeito mútuo entre as pessoas que integram o poder. Diria mesmo que quanto à maioria falta é VERGONHA NA CARA, para fazerem papelões dessa ordem, diante de todos os brasileiros, e principalmente diante de todo o mundo livre. Porque o que está acontecendo em Brasília atualmente É UMA VERGONHA (parodiando jornalista de sucesso).

Ora pois, pois... isso é nada mais, nada menos do que o amadurecimento daquela sementeira horrorosa que fora realizada durante os últimos anos do regime de exceção, e que a esquerda adubara de forma tão eficiente, que temos agora a própria no poder!

"Brasileiros e brasileiras!!!!" (como diria o Sr. Sarney)... "Minha gente" (como diria o Sr. Collor), precisamos assumir nosso papel enquanto nação, e promover ajustes importantes em nossa liderança (vale dizer, nos poderes constituídos), sob risco de nunca passarmos do patamar em que o Sr. charles DeGaulle nos situou - "o Brasil não é um país sério". Ainda não é, infelizmente. Mas ainda não é pelo alvitre de nossos homens públicos, nossa gente quer ser respeitada, mas está muito difícil isso acontecer.

Pátria amada, tem gente que não te ama... você não consegue distinguí-los?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ERROU DE NOVO, SR. MICHEL SAAD NETO!

ESCOLAS DE DELINQUENTES

DE MARCHINHAS DE CARNAVAL...