IGREJAS GAY E OUTRAS BOBAGENS

Conforme noticiado, abre-se oficialmente dia 27 próximo a primeira igreja gay oficial (digamos assim) brasileira, sob nome de "Igreja Cristã Contemporânea".

Naturalmente, a massa energúmena encontra no episódio mais combustível para afrontar o deputado Marco Feliciano, etc e tal... (tão monótonos, tão pequenos horizontes...).

Bobagens.

Primeiro de tudo, a instalação de um clube, igreja, sindicato ou repartição gay nada tem a ver com a vida ou atividade do deputado. TODOS NÓS temos direito à nossa própria opinião, e se o homem tem a sua, nós nada mais estaremos fazendo do que lhe conceder direito assegurado na democracia, se a tolerarmos, claro, com direito às ressalvas pessoais de cada cabeça.

Então, para "começos", excluamos o digno deputado da equação nova. Misturar essas coisas é baixo, pequeno, indicativo mesmo de incapacidade de debater.


Em segundo lugar, é preciso que se esclareça a motivação, o que leva alguém ou um grupo, a criar uma nova denominação/religião/ramo religioso.

Há zilhões de pessoas homossexuais, ou com tendências tais, no seio das igrejas chamadas cristãs, ou de quaisquer outras religiões. Isso é sabido. O que rola então?

Historicamente se observa que as dissidências em movimentos religiosos sempre aconteceram para acomodar motivações ou vontades específicas. No antigo Egito, a nova religião proclamada pelo faraó Akhenaton combateriam o poder dos sacerdotes (pessoalmente eu acho que Akhenaton estava certo em suas definições e decretos)... Aqui alguém era excomungado pelo Papa, acolá um grupo descontente com lideranças se juntava, e por aí vai.

Ora, o que se vê em nossa sociedade pós-moderna é, com pequeníssimas correções de raciocínio, a mesmíssima coisa. Ora são grupos que, motivados por experiências transcedentais buscam outra abordagem do ritual religioso, ora lideranças descontentes com a partilha do butim (coisa vergonhosa), ou então... o apóstolo Paulo dissera, do alto de seu saber, que  "virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;..." (II carta a Timóteo, 4:3).

Agora vejam... não é necessário muito esforço de interpretação para se descobrir que o homossexualismo masculino* é condenado na Bíblia que temos até hoje. Então, aqui e acolá temos "fiéis" que não se sentem contemplados com a benção de Deus. E qual é a solução? UMA IGREJA NOVA, ué!

Penso que o grande desafio agora será desconstruir a doutrina - vale dizer, mudar a Bíblia, será?

A sinuca de bico que sobra é que - mudem o que quiserem - estarão criando uma heresia, e o beneplácito do "Deus" original não os alcançará. Nasce uma igreja "maldita", infelizmente. Resta saber se vão postular com alguma PEC (rsrsrs) a mudança de julgamento de Deus.

Não pretendo aqui dar a receita para acomodar as coisas, no contexto até aqui existente, mas há um caminho.

Em tempo... SOU CRISTÃO. Tenho minhas convicções. Não peço a ninguém para pensar como eu. Mas tenho elementos para defender meu ponto de vista.

*Porque nada se diz sobre homossexualismo feminino? Eu tenho minhas conclusões, mas as guardo para mim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE MARCHINHAS DE CARNAVAL...

ERROU DE NOVO, SR. MICHEL SAAD NETO!

CURA GAY E OUTRAS IMBECILIDADES EMPURRADAS PELA MÍDIA