terça-feira, 23 de abril de 2013

IGREJAS GAY E OUTRAS BOBAGENS

Conforme noticiado, abre-se oficialmente dia 27 próximo a primeira igreja gay oficial (digamos assim) brasileira, sob nome de "Igreja Cristã Contemporânea".

Naturalmente, a massa energúmena encontra no episódio mais combustível para afrontar o deputado Marco Feliciano, etc e tal... (tão monótonos, tão pequenos horizontes...).

Bobagens.

Primeiro de tudo, a instalação de um clube, igreja, sindicato ou repartição gay nada tem a ver com a vida ou atividade do deputado. TODOS NÓS temos direito à nossa própria opinião, e se o homem tem a sua, nós nada mais estaremos fazendo do que lhe conceder direito assegurado na democracia, se a tolerarmos, claro, com direito às ressalvas pessoais de cada cabeça.

Então, para "começos", excluamos o digno deputado da equação nova. Misturar essas coisas é baixo, pequeno, indicativo mesmo de incapacidade de debater.


Em segundo lugar, é preciso que se esclareça a motivação, o que leva alguém ou um grupo, a criar uma nova denominação/religião/ramo religioso.

Há zilhões de pessoas homossexuais, ou com tendências tais, no seio das igrejas chamadas cristãs, ou de quaisquer outras religiões. Isso é sabido. O que rola então?

Historicamente se observa que as dissidências em movimentos religiosos sempre aconteceram para acomodar motivações ou vontades específicas. No antigo Egito, a nova religião proclamada pelo faraó Akhenaton combateriam o poder dos sacerdotes (pessoalmente eu acho que Akhenaton estava certo em suas definições e decretos)... Aqui alguém era excomungado pelo Papa, acolá um grupo descontente com lideranças se juntava, e por aí vai.

Ora, o que se vê em nossa sociedade pós-moderna é, com pequeníssimas correções de raciocínio, a mesmíssima coisa. Ora são grupos que, motivados por experiências transcedentais buscam outra abordagem do ritual religioso, ora lideranças descontentes com a partilha do butim (coisa vergonhosa), ou então... o apóstolo Paulo dissera, do alto de seu saber, que  "virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;..." (II carta a Timóteo, 4:3).

Agora vejam... não é necessário muito esforço de interpretação para se descobrir que o homossexualismo masculino* é condenado na Bíblia que temos até hoje. Então, aqui e acolá temos "fiéis" que não se sentem contemplados com a benção de Deus. E qual é a solução? UMA IGREJA NOVA, ué!

Penso que o grande desafio agora será desconstruir a doutrina - vale dizer, mudar a Bíblia, será?

A sinuca de bico que sobra é que - mudem o que quiserem - estarão criando uma heresia, e o beneplácito do "Deus" original não os alcançará. Nasce uma igreja "maldita", infelizmente. Resta saber se vão postular com alguma PEC (rsrsrs) a mudança de julgamento de Deus.

Não pretendo aqui dar a receita para acomodar as coisas, no contexto até aqui existente, mas há um caminho.

Em tempo... SOU CRISTÃO. Tenho minhas convicções. Não peço a ninguém para pensar como eu. Mas tenho elementos para defender meu ponto de vista.

*Porque nada se diz sobre homossexualismo feminino? Eu tenho minhas conclusões, mas as guardo para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...