terça-feira, 2 de abril de 2013

LUGARES ABANDONADOS PELO PLANALTO CENTRAL

 Hoje estive comentando sobre indignidade absurda que nosso governo comete, em relação ao Nordeste brasileiro.

Mas meu amigo Camargo, de Londrina, me trouxe mais uma "pérola", e decidi iniciar uma série, não contínua, mas que vai se publicar a intervalos, de lugares que nosso governo - onde incluo o Executivo e o Legislativo, principalmente - têm sistematicamente esquecido.

Começamos a série com esse primor, entra as cidades de Juína e Colniza - MT. Em meados do ano é poeira pra ninguém por defeito, na estação das chuvas... olhem aí...

Claro, naturalmente alguém vai aparecer e dizer que o projeto para pavimentação da via já está em fase "final". O blog da Sandra Carvalho já indicava (em 2009) que prometeram 10 milhões, etc e tal, pontes e outros troços... mas os atoleiros, como podem perceber, persistem (a foto acima é do início de 2013).

Ok, vão dizer que a região depende da demarcação de terras indígenas, etc e tal. Mas então, VAMOS RESOLVER OU NÃO? Um amigo meu, Dr. Navaqui, dissera que a questão indígena ao que tudo indica tem "excesso de execução", como se diz em Direito... enfim...

Enquanto as coisas não clareiam, bravos índios vão sendo esbulhados do que lhes poderia pertencer, os chamados "civilizados" fazem ou sofrem barbaridades, e nesse 'imbróglio", ficamos com uma estrada nessas condições. Observem a fila de caminhões (NADA ME TIRA DA CABEÇA que uma estrada de ferro faria melhor e mais eficiente trabalho, mas há incapazes para todo tipo de ministério, e não me admiraria se quem planeja o crescimento do Brasil tenha limitações de raciocínio).

Aguardo manifestações dos nobres moradores do MT. Não posso ser totalmente conclusivo sem o respaldo de vocês, embora imagens falem mais que mil palavras, já dizia algum obscuro filósofo.

Brasil... grande demais até para os olhos megalômanos dos que te exploram...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...