quinta-feira, 13 de junho de 2013

O CINZA, ENTRE O PRETO E O BRANCO...

Quinta-feira ensolarada, de frio nem sinal (noroeste do Paraná)...

Me deparo com a novidade abaixo, da pena (excelente!) do Josias de Souza, no "UOL":

http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/06/13/presidente-da-camara-apoia-projeto-de-lei-que-flexibiliza-ficha-limpa-ja-para-eleicao-de-2014

A turma está preocupada com a possibilidade de a Lei ser aplicada em prejuízo de quem meramente (?) tenha contas rejeitadas  pelos tribunais de contas. Ora, ora, ora... gente que deveria se preocupar em fazer o trabalho "de casa", está se preocupando com as consequências de suas diatribes...

O presidente da Camara, deputado Henrique Alves, vem com o "nhem-nhem-nhem"de que os deputados querem também ser reeleitos, e precisam "atender demandas" (leia-se assistencialismo eleitoreiro, o que mais poderia ser?)

Notem a sutileza de elefante... "Nós queremos a reeleição da Dilma, mas todos nós queremos nos reeleger também”, resumiu Henrique. “Então, é hora de atender às demandas.”

A motivação da grita é meramente eleitoreira, NINGUÉM está nem aí com o eleitorado, porque só correm para fazer algo por ele, quando o fogo sobe por baixo da frigideira.

Pondera que entre o "branco" e o "preto", da forma objetiva de decidir da Presidente Dilma, está faltando o "cinza".

Pois então, Sr. deputado, vamos aqui "destrinchar o pato".

A Lei da Ficha Limpa (L.C. 135/2010) pode até ter contornos exagerados, mas isso aconteceu (observem, senhoras e senhores, ela foi aprovada por UNANIMIDADE, em maio de 2010) devido exatamente aos absurdos que eram (e ainda são...) cometidos pelo Executivo brasileiros, em seus diversos escalões. Se é draconiana, o é por unanimidade daquele Congresso de 2010. A absorção de modificações lenientes nada mais será do que retrocesso, no processo de transparência e seriedade com a coisa pública que se pretendeu incrementar, a partir dali.

Os Srs. deputados (e senadores também) deviam se incomodar com suas emendas, etc e tal, DURANTE o mandato, e não somente no ano que antecede as eleições. A bem da equidade, preciso pontuar que ALGUNS agem assim, mas são minoria. Garantia de reeleição, Sr. deputado, é um trabalho bem feito, não emendas derramando açodadas verbas no último ano de mandato - o que ensejará muito oportunismo e desvios de recursos, podem ter certeza!

O "cinza", Excelência, que o Sr. referiu ser necessário, na verdade é o limbo entre o certo e o errado, o justo e o injusto, o decente e o indecente. O QUE MESMO O SR. QUER que exista?

Essa coisa nojenta, que negocia com a desonestidade de nossos políticos e seus amigos empresários... essa imoralidade que atribui cargos públicos a apaniguados sem preparo, só para manter representação partidária, esse retalhar de poder, em nome de equilíbrio de forças/tendências - ISTO É O CINZA.

Mas nossa gente está acordando, ainda que de modo meio atabalhoado. E quando acordarem, SENHORES, vocês não vão dormir sossegados mais, nunca mais.

Brasil, Pátria amada, como teus homens públicos podem ser assim tão descuidados, a ponto de demonstrar suas reais intenções, em meio a um discurso em favor de "compreensão"? Te amo, Brasil, mas não compactuo com isso!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...