quarta-feira, 28 de agosto de 2013

SERIAM EVANGÉLICOS?

O conhecido site de variedades apresentou há alguns dias matéria a respeito de uma igreja evangélica "gay".

Me parece que foi quando da inauguração do tal templo. E abaixo de uma foto, a legenda estampava "evangélicos lotam... (algo assim)".

EVANGÉLICOS?

Bem, bem... quem segue um evangelho é evangélico, assim, se o "Mein Kampf" for algum dia erigido à condição de evangelho, Adolf Hitler terá seus "evangélicos".

Mas, meus irmãos e irmãs (todos vocês, gays ou não), com toda a certeza o pessoal que lotara o recém-inaugurado templo não é seguidor do Evangelho segundo a Bíblia, o Evangelho que é anunciado desde o século I de nossa era.

Num debate que a notícia produziu, vi uma pessoa colocando assim: "vocês se acham diferentes, mas o pecado de vocês é que é diferente.(minhas palavras)"

E então, a pessoa explana que a pessoa que julga também peca, etc e tal...

Está corretíssimo. Cabe, todavia, um pensamento.

Os julgadores, os mentirosos, os adúlteros, os ladrões, os assassinos e todos os outros pecadores, entre os quais me incluo, cometem PECADO. Transgressão à lei de Deus. Naturalmente me refiro ao Deus de minha devoção, o da Bíblia. Assim como os "tipos" de pecadores - todos eles, de acordo com a Bíblia, regra de fé e prática do Cristianismo, que é baseado no Evangelho do dito cujo livro - os praticantes de homossexualismo também o são.

O ponto crucial da coisa é que Deus AMA O PECADOR, mas não o pecado. E é aqui que a coisa enrosca.

Porque você pecar incidentalmente, se arrepender, e buscar o perdão do Eterno, tudo certo. Mas isso com toda a certeza não é semelhante a quem se encontra convicto de que é gay e, ao invés de curtir sua vida SOZINHO, busca emparceiramento, para perenizar a transgressão. Onde há arrependimento, aí?

Voltando à inauguração da "Igreja" gay... vi fotos de pessoas com vestimentas totalmente impróprias para o interior de uma igreja, daquele mesmo evento. O que exatamente se pretende, quando alguém usa suas roupas de "travestimento", num lugar de adoração?

Me afigura algo do tipo "Deus, eu sou assim, E VOCÊ VAI TER QUE ME ENGOLIR." Me parece mais um acinte, uma provocação, do que propriamente uma atitude pia, uma presença contrita, um comportamento de adoração.

Não, não são evangélicos, do ponto de vista do Cristianismo. Não os que vi nas fotos do evento.

Não quero provocar polêmica com essa crônica, mas acho que caberia mais postura e compostura de quem, escolhendo o que quer que seja como código de vida, evitasse afrontar a divindade dos outros, evitasse desrespeitar o que as outras pessoas têm como regra de vida.

Não tenho absolutamente nada contra os gays, tenho amigos que o são, me respeitam e são respeitados. Penso, todavia, que os fundamentos do movimento estão corroídos, sem retorno.

A propósito, confiram como são as coisas sob outros credos, inclusive os das comunidades mais simples (nativos de toda parte, etc e tal.). Vão se surpreender da liberdade que têm, em nome de democracia, e talvez concordem em viver conosco (os ativistas, literalmente agitadores) numa sociedade que precisa ser respeitada, para respeitar. Respeito sem contra-partida acaba virando piada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...