terça-feira, 24 de setembro de 2013

REVENDO AS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS BRASILEIRAS

Muito se tem comentado, ao longo dos últimos dias, a respeito de como os votos no STF, que receberam os "embargos infrigentes", preservaram as instituições democráticas.

Os luzeiros que assim ponderam asseveram que, dado o cumprimento da Lei, tudo foi colocado nos eixos.

(naturalmente, ninguém comenta do porquê dos votos contrários, que tiveram também seu respaldo. Nem se cogita REFAZER o julgamento dos embargos - dura lex, sed lex, já que foi por 5 a 4! Já que se evocou a lei, tendo em vista a votação apertada...).

COMO? O que se preservou, exatamente?

Em primeiro lugar, temos simulacros de instituições democráticas - um Legislativo totalmente fisiologista (mesmo os dissidentes disso não podem virar a mesa, são poucos), um Executivo submisso ao Legislativo e focado numa experiência socialista suicida (anacrônica, obsoleta, porque suas fundamentações ficaram no século XX), cujos contornos se delineiam agora, e um Judiciário de joelhos. A Lei é feita pelo Legislativo, logo, ora, ora, ora... ela tem que ser respeitada! E danem-se leis infraconstitucionais! E que se dane a moral, a ética, o Direito em sua forma mais pura!

Mas a pirâmide não para em seu ápice - as Forças Armadas literalmente "subnutridas" (sem recursos, sem tecnologia* adequada para defender nossa Pátria), os serviços públicos em situação caótica, nossa Educação jogadas às traças, de modo quase geral, e então começam a surgir "soluções", como por exemplo a importação de médicos...

As obras públicas são leiloadas para um seleto grupo de construtoras, com preços exorbitantes, e combinações de bastidores não seria de se estranhar, especialmente porque quase 100% das obras públicas entregues a empreiteiras ou não termina, ou é concluída com defeitos, ou demanda alteração (para cima, claro) do orcamento inicial. Além, naturalmente, dos preços praticados com o ente público nessas licitações, de modo quase geral SEMPRE SUPERIORES, e muito, à concorrência aberta.

Nossas estradas são uma lástima, de modo geral. Nem as concessionárias estão fazendo muito, pela fortuna que deixamos nas praças de pedágio pelo Brasil - vale a pena conferir o que os paranaenses pagam!!! Um assalto, verdadeiramente, tendo em vista a relação custo/benefício!

As ferrovias... ME DIGAM se existem (ah, existe uma, me parece no Nordeste, indo do nada para lugar nenhum - porque terminais não foram construídos, trechos precisam de reparos).

As hidrovias... ainda estão no papel (há algo previsto para começar a operar a partir de 2016 - vamos conferir esse prazo), quase tres anos após o PAC respectivo determinar prioridades.

Os aeroportos brasileiros estão numa azáfama doida para se adequarem à demanda do ano que vem (Copa do Mundo) e de 2016 (Olímpiadas). Não creio que consigam fazer nada dentro do prazo, mesmo no escalonamento de dois anos até à Olímpiada. Quem viver, verá.

Na Educação, tudo às instituições privadas - praticamente NADA às instituições públicas (se alguma coisa nesse sentido estiver andando BEM, podem comentar, terei prazer em ressalvar o tópico).

Quanto à Saúde... reconheço que a classe médica tem se comportado, de modo quase geral, de forma perversamente fisiologista, também, e muitos há que ainda "mamam" nas tetas públicas, e o povo mesmo não é atendido (vide as denúncias de médicos que marcam expediente, mas não o cumprem). Mas a
ativação do programa "Mais Médicos" vai trazer o que de novo, para nossa gente? Em postinhos quase desmantelados em muitos rincões, sem ataduras, sem instrumentos de enfermagem, sem medicamentos, sem sutura, sem praticamente NADA?

Uma outra pergunta - dado não termos assim tantos engenheiros civis em atividade (me parece que temos...), vamos importar engenheiros? O que se dizer de dentistas, já que esses profissionais seguem com pouquíssimo desvio o exemplo dos médicos????? Teremos o programa "Mais Dentistas"?

Senhoras e senhores, precisamos influenciar nossos círculos de influência - a um custo altíssimo para toda a nação, estão comprando nossa gente mais sofrida e menos aquinhoada com programas de "Bolsa". A propósito, salvo melhor juízo, o programa "Minha Casa, Minha Vida" começou a fazer água - tomara que não venha uma anistia por aí...

E hoje nos chega a voz daquela iluminada Presidente, Sra. Dilma Roussef, cogitando de proposta brasileira para controle da internet!!!!!! A justificação é que rotinas de espionagem não podem acontecer indiscriminadamente. Mas...

Isso é uma loucura, sob todos os aspectos! Se há algo a se manter sigiloso, simples - que se transmita "in loco", e assim seja mantido. NADA MAIS será privado em termos de comunicação, nesse mundo do século XXI, será que ninguém entende isso? Que o digam os chineses, que enchem de "firewalls" sua internet, e mesmo assim, o bloqueio  virou mexeu é furado. Uma utopia perversa, para confrontar o sonho de liberdade em que se transformou a internet (com todos os seus perigos e desafios).

Temos mesmo instituições a defender? Quais, exatamente?

Vamos copiar Executivo, Legislativo e Judiciário de onde? Porque o que temos não serve ao Brasil. Ou melhor, está servindo a uma oligarquia que já mostrou ao que veio.

Quem viver, verá.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...