terça-feira, 15 de outubro de 2013

JOGO DOS ERROS COM A SEGURANÇA PÚBLICA

Bom dia, prezados!

Trago-lhes hoje um desafio - descubram no período abaixo onde está o erro:

"O assaltante tomou, mediante ameaça de morte, a moto do condutor, mas foi impedido de fugir pelos tiros do policial."


Aos que disserem que o policial foi precipitado ao usar sua arma, um lembrete:  vocês estão alinhados com alguns grupos de "proteção dos direitos humanos(???)", que consideraram uma arbitrariedade o policial atirar contra o meliante.

Já quem acha que o erro está no ato praticado pelo jovem criminoso, saiba que estará entre dezenas de milhões de brasileiros que, diariamente, convivem com uma realidade cruel, construída com muito labor e disposição, pelos governos - sejam municipais, estatuais ou o próprio governo federal.

Sim, o erro está no absurdo de alguém ser obstado em seu ir e vir por alguém que sem critério algum, pretende se apropriar de bem alheio - e não se sabe bem porque, se para praticar outros crimes, se para trocar em drogas, se meramente para de "pavonear" diante das meninas.

O erro, senhores e senhores, é toda uma sociedade se achar refém da criminalidade. Senão, vejamos:

Não há segurança ostensiva para garantir a incolumidade da população. Aquela figura icônica do policial do bairro (que aparece em alguns filmes americanos) é mera fábula. Igualmente, os efetivos bem armados, a bordo de carros velozes, que notamos em outros países do mundo, são mera quimera na terra de Tupã.

Os cidadãos de bem têm ensejado o crescimento em escala geométrica de negócios voltados para sistemas de segurança, grupos de proteção privados (tenho calafrios só em imaginar se UM dos empregados desses grupos decide sair da linha...), cerquinhas eletrificadas que todos sabemos que não funciona lá essas coisas... Nossas ¨carroças veiculares" (a maioria, ainda, preciso concordar com o Sr. Fernando Collor), adquiridas a peso de ouro quase, são entupidas de blindagens que chegam a custar outro veículo...

Nosso sistema penal é uma banalidade tão sem solidez quanto uma cortina diante de uma janela aberta - basta estender o braço para que ela saia da frente. Além de a maioria dos presídios ser mesmo escola do crime, os lá reclusos têm parceria com os agentes/políciais próximos, e assim desfrutam (claro, os que têm dinheiro ou poder) de benesses inimagináveis, e - naturalmente! - continuam gerenciando suas atividades, inclusive contando com modernos celulares/tablets e outras parafernálias. E os governos fazem de conta que estão resolvendo o problema.

Aquele policial corajoso, com senso de dever agudamente inserto em si, agira corretamente - buscou coibir a ação criminosa, e teve sucesso.

Se algum grupo de "direitos dos manos" lhes bater à porta, amigos, pedindo apoio ou algo semelhante, recomendem a eles que ADOTEM um criminoso para viver em família, ANTES de vir vociferar sobre direitos sociais de pilantras que nem mereciam estar vivos!

Brasil... o caos está de morro abaixo, mas eu ainda tenho esperança em ti, Pátria amada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...