segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

O EXECUTADO NA INDONÉSIA - HIPOCRISIA E BABAQUICES OFICIAIS

Muito se disse também, ao longo dos últimos dias, a respeito daquele "pobre" brasileiro, condenado à morte na Indonésia, pelo crime de tráfico de drogas.

SIM, Marco Archer Cardoso Moreira era (porque já foi executado) TRAFICANTE.

SIM. Fazia disso meio de vida, inclusive declarou isso em entrevista. E, como informou, pretendia com essa "viagem" conseguir sua independência financeira.

SIM. Ele sabia do regramento existente na nação a qual pretendeu afrontar. Conhecia os riscos envolvidos. Precisamos parar de "passar a mão na cabeça" de quem infringe leis, e de forma sumária. Esse negócio de processos lentíssimos, com recursos à exaustão, só fazem vicejar entre nós novas e mais eficazes, violentas, cepas de criminosos. Inclusive do ponto de vista da organização (vide o PCC).

NÃO, A Indonésia não errou em nada. Seu sistema penal atende às necessidades não só de uma sociedade, como também aos mandamentos de uma fé que compartilham. E É UM PAÍS SOBERANO. É necessário que isso seja destacado. Radical ou não, o castigo capital pode ser solução - ao menos nesse estágio social daquele país - para assegurar alguma paz a seus habitantes.

Nosso governo? Um desgoverno, pode-se dizer assim... enquanto imploram que se poupe a vida de um criminoso contumaz, assumido e inteligente (nem tanto, pelo erro de cálculo), quantas vezes já vimos nossos governantes intercedendo ou promovendo ações de repúdio ao Boko Hakam, ou aos radicais islâmicos que estão abatendo gente como moscas, no interior do Iraque?

Apelar ao Papa para que ele intercedesse pela vida do "de cujus"... o que é isso? Agora o Papa vira "chave de cadeia" para criminosos contumazes?

Convocar embaixador da Indonésia para "consulta" soa tão efetivo quanto secar gelo. Não produzirá efeito algum, exceto o deletério, sobre as pedras enxugadas.

Aliás, me causa espanto desmedido que enquanto o Executivo faça essas traquinagens, o Legislativo não dê um pio!

Tampouco nossos artistas, as cabeças pensantes dizem algo a respeito.

Ou melhor, quando dizem, são discursos desconexos, sobre a Indonésia estar na contramão da história, etc e tal... Ah, parem de vociferar estupidez! Que sociedade está mais amparada, em termos de segurança? A da Indonésia ou a nossa?

Me poupem os garotinhos e garotinhas dos "Direitos Humanos". Vocês nem sabem ao certo o que é humanidade, e conceitos conexos como liberdade relativa, como segurança social... estão querendo na verdade é mais verba para essas ONGs oportunistas...

Talvez nem isso...

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

CHARLIE HEBDO E OUTROS LUNÁTICOS



Muito se tem comentado, por esses dias, sobre o trágico ataque terrorista cometido contra a redação de uma revista cômica francesa, que resultou em algumas mortes e muito rancor.

Agora que a poeira vai baixando, e as cabeças pensantes se concederam o dever de analisar o que acontece, vou eu também comentar algo a respeito.

Revistas cômicas não são novidade, mundo afora. Em terras tupiniquins, tivemos "O Pasquim", "Planeta Diário", e outras iniciativas menos operosas... Lá fora, me ocorrem "The New Yorker", "Mad" (brilhante, para se dizer o mínimo, em termos de propostas contestadoras), e me lembro de algumas manifestações igualmente chamativas e inteligentes, mundo afora.

A novidade que tem despontado ultimamente é a forma como o humor tem se apresentado, na busca incessante por visibilidade a tentativa de se tornar útil.

E nessa busca, há excessos.

Ora, meus amigos e amigas, como vamos encarar uma capa onde um velho esquálido, seminú, representando Deus está literalmente "pegando" Maomé?

Observem, amigos, isso vai além do engraçado. Isso fere as convicções de fé de aproximadamente 70% do orbe, se somarmos maometanos e cristãos de todas as cepas. Isso deixa de ser engraçado, e passa a ser desrespeito com ícones da maioria das pessoas, sejam válidos (um deles pra mim É), ou não.

O Papa ao comentar a respeito, foi criticado, porque ponderou exatamente sobre essa faceta do problema. Parece que está fora de moda se cobrar respeito na sociedade, quando o tema é religião cristã, ou islâmica, não é mesmo? Todas as outras são protegidas, mais ou menos... Porque os maiores grupos religiosos do globo podem ser afrontados, e não têm o direito de reclamar?

A verdade, que inclusive meu irmão de fé Luiz Carlos Granja (visitem o blog dele!) ressaltou, é que os editores da vitimada revista forçaram a barra. E a coisa nem foi desrespeito a Deus, nem a Alá, ou Jesus, ou Maomé.

Desrespeitaram os fiéis, que veem nesses seres (dentre eles me incluo) motivação para a vida, fonte de ensino e sabedoria, por prosaico que isso pareça, ao ser escrito.

Desrespeitaram senhores e senhoras religiosos, das duas confissões envolvidas. Desrespeitaram gente que está em estágio terminal, para quem somente Deus é solução.

Sabem? Sinto profundamente por aquele policial, que foi executado por irmãos de mesma seita. Sinto demais por inocentes, sinto pelos prejuízos... mas... como diria o antigo brocardo - "quem pariu Mateus, que o embale".

A revista, como veículo visível, e seus autores, receberam castigo - talvez excessivo, mas merecido. Tenho dito.

Ademais, pra finalizar... se a coisa tivesse acontecido na Irlanda, tenho minhas dúvidas se ficaria pedra sobre pedra restando... e quem iria literalmente "pirar" seriam os católicos E protestantes!!!!! Imaginem!

Que isso sirva de lição para quem gosta de brincar com a fé alheia. Há fiéis e há FIÉIS. Há gente equilibrada, e gente não tanto.

Pelo sim, pelo não... não façam figurinhas engraçadinhas de seres divinos tomando atitudes pervertidas. Isso pode até vender mais, mas produz um estranho rancor, que pode resvalar para a vontade de "vendetta".

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

DA ESTUPIDEZ DA LEI, DE SEUS REPRESENTANTES... E DA NOSSA PRÓPRIA ALIENAÇÃO



Tive essa semana acesso a vídeo em que um motociclista, abordado pela autoridade policial, mostra um dispositivo de seu veículo que OCULTA a placa de identificação.

http://www.redetv.uol.com.br/jornalismo/portaljornalismo/Noticia.aspx?118,4,684403,126,Suspeito-diz-que-esconde-placa-de-moto-para-nao-ser-roubado

O argumento usado pelo cidadão para justificar o uso do dito cujo sisteminha, que, acionado a partir do painel da "motoca" oculta ou expõe a identificação do veículo, é de que ele contribui para sua segurança. Alegou que ao levantar a placa, poderia ir embora, e ficaria a salvo de assalto.

Ah, tá.

A ÚNICA RAZÃO que me ocorre, pela qual uma pessoa instale esse "troço" é que porque ela pretende não ser identificada. Ora, tendo em vista que criminosos não entram nessa "neura" de ficar conferindo placas, não é a eles que se dirige a medida "de segurança"... a finalidade seria a de burlar a lei, então?

A resposta sem dúvida é um sonoro SIM.

Mas agora vem a coisa pitoresca da história.

"Em 2009, desembargadores da 8ª Câmara Criminal do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) afirmaram que instalar o “kit placa” para fugir de multas e fiscalizações não configura crime." 

Pessoas, concordo que esconder uma placa de identificação veicular não configure crime, assim como cometer excesso de velocidade no trânsito também não o é, por exemplo. Igualmente, a mera comercialização de cola de sapateiro não o é... SERÁ QUE PRECISA DESENHAR?

Mas o que exatamente nós queremos para nossa sociedade, para nossa vida?

É ÓBVIO QUE O RECURSO SERÁ UTILIZADO POR QUEM PREFIRA COMETER CRIMES usando seu próprio veículo - com esse conforto adicional, ao invés de "ralar" tentando roubar um outro veículo. 

A mera tolerância da coisa não enobrece os ilustres senhores togados do TJ SP, e presta um favor inestimável à criminalidade. Ponderem... estamos lhes fornecendo condições para ilícitos ainda mais eficazes, na sua consecução. O sonho de todo bandido, ter seus rastros apagados... agora é possível!!!!! - e não demora pra aparecer em carros, aposto. 

E como um mal isoladamente é bobagem, aos olhos da Justiça brasileira, os motociclistas infratores de leis de trânsito de modo geral já encontraram uma solução para se livrarem de incomodos radares - FALEI?

E ISSO SOB O MANTO LENIENTE DA LEI. 

Certamente os adeptos do "politicamente correto" devem ter alguém aplaudindo os nobres desembargadores, é do feitio deles...

E pude entrever, ao longo do texto que acompanha o vídeo, uma certa condenação ao policial que ficou inquirindo o rapaz apanhado com o "brinquedinho". Me dá urticária, esses defensores dos "direitos dos manos"...

Pode isso "Arnaldo" (parodiando bordão famoso...)?

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

PERPETUAÇÃO DA SAFADEZA




Noticieiro famoso da internet nos dá notícia de que a governadora Suely Campos, de Roraima, esposa do Sr. Neudo Campo (que renunciara a reeleição por enquadramento na Lei da Ficha Limpa), nomeou nada mais nada menos do que DOZE parentes, de primeiro, segundo e terceiro grau, e o MP identifica mais tres agregados, relacionados com uma das filhas.

Os salários que os ilustres comissionados farão jus, ainda segundo a notícia, medeiam entre R$ 16.000,00 e R$ 23.000,00... básicos...

PESSOAS... estou ficando velho pra suportar isso... alguém dissera que, embora antiético,imoral e coronelista, não é ilegal.

Pois bem, vamos a pontos concretos da mixórdia. Será que as pessoas têm conhecimento amplo daquilo em que vão trabalhar? Qual é a formação dos cidadãos, para fazer uma fuzarca dessas?

Pensem, amigos... quinze parentes, mais o casal do governo (ela disse que ele - o ficha suja, vai ser seu conselheiro) já dá uma assembléia!!!!*

A coisa é tão vergonhosa que até o vice-governador, discretamente, mostrou descontentamento com a escalação. Ok, pode ser que ele pensava em colocar alguém de SUA TURMA... vai saber...

Se isso não for nepotismo, não sei mais o que possa sê-lo. A desculpa de serem cargos de confiança não procede. Quem quer que seja comissionado terá sobre si a lei de responsabilidade, então o quesito confiança pessoal cede vez para "lisura no trato da coisa pública". Simples assim...

Não sei o que os roraimenses pensam a respeito, mas se pretenderem lisura na coisa pública, desenvolvimento para aquele rico e mal administrado estado, aplicação correta dos impostos que com toda a certeza são amealhados por lá, precisam defenestrar essa rapaziada, porque NADA ME CONVENCE que não seja um cabide de empregos.

Com a palavra os ditos roraimenses, com a palavra o MP. E ao STF, que supostamente toleraria algo assim... ilustres senhores togados, saibam que vergonha não é para quem quer, mas para quem a tem.

Estamos envergonhados, todos os brasileiros, de como a "banda toca", em nossa Pátria. A maioria, por ser ignorante, inculta (foi posta assim, de joelhos, pelo esforço de nossos governantes), não se manifesta.

Mas é porque, incultos que são, não entendem que a coisa é terrivelmente vergonhosa.

* Ops... agora (14:30) já são dezenove... PODE?

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

O APELO DAS MINORIAS (OU... COMO SE CORROMPE UMA SOCIEDADE)

Preciso lhes falar, amigos e amigas, da questão homoafetiva e temas conexos, novamente.

E não, não pensem que sou preconceituoso, porque não sou. Tenho amigos e amigas homossexuais, me dou bem com eles, temos respeito mútuo. Tenho visão amadurecida de mundo e da sociedade como um todo, e entendo que o processo social é dinâmico.

Notem bem a que ponto chegamos - "Fulano exige sexo com Sicrano para ficar quieto em ...(novela da atualidade)."

Os conteúdos disponibilizados em horário nobre, notadamente pela emissora do "plim-plim", trazem a cada produção cargas mais volumosas de catecismo homoafetivo.

Como já dissera um político famoso... "se alguém prefere sentir prazer... etc e tal..." TUDO CERTO. Não é problema específico meu.

Mas, amigos e amigas, por exemplo - o universo de adeptos da homoafetividade representa alguma coisa em torno de DOIS POR CENTO de nossa população. Vale dizer, é algo em torno de 1/90 de nosso povo.  Minoria absoluta.

E SE O RESTANTE da população prefere algo diferente, como vai ser?

Mas não, em nome do politicamente correto empurram-se conceitos e comportamentos sobre uma sociedade inteira, que até então convivera dentro de razoável serenidade com a minoria referenciada. E são forçados padrões comportamentais cuja escolha deveria acontecer a critério do próprio indivíduo, e não por condicionamento.

Mas a maldade inserta no pacote não se resume a isso. Em nome de abertura de mente, de desenvolvimento social, crianças de primário são ensinadas sobre comportamento erótico homo e hetero. Antigo livro sagrado assim postula: "Conjuro-vos, ó........., que não acordeis o meu amor, até que queira". Não sei se entendem...

Estão iniciando as crianças em práticas eróticas quando elas ainda não estão preparadas fisica nem emocionalmente para os comprometimentos envolvidos! Mas não é só isso. "Pari passu" com a adultização das crianças, estão literalmente lançando nossos inocentes na alça de mira de pedófilos, de sádicos, de pervertidos de todo o gênero...

E a máquina por trás das produções televisivas amadureceu o conceito de que se existir palavras chulas, nudez e relacionamento homossexual na novela... SUCESSO!

E AGORA?

Pode me chamar de saudosista. Mas sinto uma falta terrível de novelas como "O Bem-Amado", "Shazam e Xerife", e coisas do gênero que, enquanto nos divertiam, passavam conceitos de vida em sociedade, e sem dúvida componentes romancescos existiam, mas não apelavam.

Me acham exagerado, ou bitolado? Sem problemas... confiram como é a coisa em países nomeadamente mais desenvolvidos do que o nosso - terão uma surpresa em cima da outra, de como suas crianças são protegidas...

Mas o velho gigante por enquanto tem escolhido estupidez para suas novas gerações. Estupidificar, em nome de enriquecimento, de manejo do poder, da maldade.





QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...