terça-feira, 18 de agosto de 2015

LOUCURAS DE DESESPERADOS - ALGUMAS CONSIDERAÇÕES A RESPEITO





Em meio ao cenário de desastre em que encontramos nosso Brasil querido, surgem ideias no mínimo cretinas para amenizar as dificuldades, e manifestações típicas de "jus esperneandi".

Uma conhecida senadora - de desempenho medíocre, exceto quando vocifera em defesa de sua gente - tem proposto que aos bancos seja aplicada alíquota maior de tributos, sob o argumento de que "o andar de cima tem que ajudar a pagar a conta " (algo assim, palavras minhas).

E então há alguns "lorpas e pascácios" tecendo loas ao PT, questionando a quem aproveita devassar o BNDES, tentando deslustrar gestões passadas, etc e tal...

Está tudo errado.

Não que a situação dos bancos não mereça cuidado. Conhecidos como os maiores agiotas do planeta, os bancos - e em particular, os bancos brasileiros - NUNCA DEIXARAM DE TER LUCRO. Quaisquer que fossem as condições da economia, as instituições bancárias singraram sempre mares tranquilos. Exceto derrapadas administrativas, como nos casos do grupo Nacional e do FonteCindam, todos, sem exceção, lucraram sempre, nas costas de passivos empresários e pessoas físicas. Então, não digo que lhes elevem a carga tributária, mas que paguem o que devem ao fisco sem lamentar. Os acionistas entenderão.

Quanto ao PT, começara muito bem sua caminhada. Quem não quer igualdade para todos? Nossa gente - sofrida, inculta, inocente da trama política, os receberia de braços abertos. Movimentos nunca dantes cogitados começaram a surgir - MST, os "sem-teto", minorias...

Mas eles esqueceram que "todos" incluia eles mesmos, e a classe política. E dá-lhe negociar com os partidos (todos eles, mais ou menos, foram incluídos na "festa"), e esqueceram nossa gente, esqueceram a Pátria e seu desenvolvimento.

O BNDES tem se constituído num dos últimos recursos, não questionáveis, para estender "mãos amigas" a países de seriedade duvidosa, governança pior ainda e repressores em sua essência. Porque não olhar de perto o que acontece com o NOSSO DINHEIRO, dentro daquela instituição?

Quando a administrações passadas... vejam o que o Sr. Elvino Bohn Gass (PT-RS - coitados dos gaúchos, com tais líderes!) escreve sobre o antecessor do PT no governo federal:
"FHC deveria lembrar-se que no seu tempo as pesquisas mostravam índices também muito ruins de popularidade. E que nem por isso ele renunciou ou veio a público admitir erros. Deveria lembrar-se que a inflação era maior do que agora. E que nem por isso ele deixou o governo ou admitiu sua incompetência. Que a taxa de juros era o dobro da atual. E que nem por isso ele pediu para sair ou fez um mea culpa"...

Caríssimo Sr. Gass, vamos aos fatos. O Sr. é jovem, pode aprender.

A administração FHC certamente teve seus erros, mas não os cometeu deliberadamente. Me lembro que uma vez o Sr. Fernando Henrique dissera "muitas vezes queremos fazer algumas coisas, promover mudanças, mas somos podados"  (são minhas palavras, mas o sentido foi esse). O plano Real, sobre o qual se reestruturou a economia brasileira, conquanto começasse no governo Itamar Franco, foi conduzido por FHC - Foi ministro da Fazenda naquele governo. A planificação mínima que permitiria a essa nação chegar à pujança que ostentava, em 2010, foi alicerçada naqueles governos, porque então tínhamos MENOS fisiologistas, menos sangria da riqueza da nação.

Ademais, porque FHC cometeria atos de "mea culpa"? Ele e seu grupo estavam reestruturando o Brasil!

Ao contrário, a gestão que se tem perpetuado pelos últimos cinco anos, Sr. Gass, tem desmerecido sistematicamente nosso povo.

Temos financiado portos no exterior, e nossa estrutura portuária é deficiente. Temos financiado estradas lá fora, e rodovias importantes aqui dentro estão destruídas, regiões dominadas por posseiros, grileiros, madeireiros ilegais e garimpeiros sem escrúpulos.

Nossas ferrovias são uma piada, de modo quase geral, mas recursos para atender governos repressores lá de fora nós temos, não é mesmo, Sr. Gass?

Eletricidade... porque insistir em hidrelétricas, que inutilizam áreas imensas? Porque construir termelétricas, tão caras? Porque as usinas nucleares, tão perigosas? Alguém no governo sabe o significado de "energia solar" ou "energia eólica"? Porque não defendem algo que agrida MENOS nossa Pátria, e incentive os brasileiros a serem melhores cidadãos?

O Sr. é jovem, Sr. Gass... aprende. Claro, que ninguém diga nada sobre as siglas PRONAF e ASPAC*.

*antes de qualquer manifestação contrária de quem quer que seja, vale lembrar que a investigação foi arquivada porque houve vazamento de informações, e os condutores do processo avaliaram impossível colher provas a respeito. Não exatamente pela INOCÊNCIA dos envolvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...