quarta-feira, 12 de agosto de 2015

"RICO QUE BATE PANELA..." E OUTRAS VISÕES MÍOPES



Um dos defensores empolgados pelo time que está no poder atualmente, minimizou manifestações legítimas, conquanto algo tímidas, de nossa gente, em que repudiavam as falas da Sra. Presidente da República, alguns dias atrás.

"Panelaços" aconteceram em locais espalhados pelo Brasil afora. Ninguém quer mais ouvir quem prometera o céu, há pouco menos de um ano atrás, e ao contrário tem entregue ao povo brasileiro calores infernais da antessala de uma crise horrorosa, sem precedentes em nossa história. Salvo a ignorância da maioria - alguns protestam a esmo, premidos pelo desespero - eles têm razão.

E ao contingente sempre crescente de proletários sem emprego, de alunos sem aula, de mães sem condições de cuidar adequadamente suas crias, começa a se juntar uma massa da chamada "classe média", porque até neles as promessas não cumpridas e desastres impingidos estão batendo - investidores se desesperam com seus recursos sendo moídos por um mercado de capitais em franca erosão, empresários não sabem mais o que fazer com as sempre crescentes e injustas cargas tributárias... É... está sendo complicado "segurar a onda", em meio às turbulências de nossa economia, em meio aos desatinos de nossos governos.

Mas então...o dito "defensor empolgado", no caso o ator José de Abreu, até ridicularizou esses novos "agregados" ao descontentamento geral, dizendo que ao fazerem panelaços os ricos transformavam panelas em penicos"... Podem verificar, no excelente site de notícias UOL.

Não é de admirar esse comportamento, que o excelente ator esposa já a algum tempo. E, afinal de contas, ele tem também o direito de ter suas próprias idéias, tirar suas conclusões, tender para qualquer lado que queira, afinal, estamos numa DEMOCRACIA (que não se compara à de Cuba, da Venezuela ou à da Coréia do Norte, por exemplo...). E, salvo engano, o prolixo cidadão tem companheiros ilustres nesse pensar, como por exemplo o compositor Chico Buarque.

Ambos têm em comum  o terem se beneficiado, de alguma maneira, do beneplácito do Estado, em suas atividades. Assim, nada como incensar quem está no poder. Natural. Mas esse não é o ponto da crônica.

Ambos têm também em comum sua paixão pela Europa, em particular França, onde inclusive o Sr. Abreu esteve recentemente, sob justificativa de estar realizando um filme lá, etc e tal...

Uma pergunta que não se cala... porque esses senhores visitam com tanto encantamento a "decadente*" (como a chamavam alguns ramos revolucionários, pouco tempo atrás) Europa? Porque, por exemplo, não realizam viagens - seja de lazer, seja a trabalho - para Cuba, Venezuela, Coréia do Norte? Estarão vivenciando sistemas de governo como o que sonham para o Brasil. Porque então não eliminar roteiros "decadentes*" de suas viagens, em proveito de experiências mais socialistas, digamos assim?

Claro, me dirão que a França é socialista. Mentira. É um país capitalista, com tendências e vernizes socialistas, mas onde impera a DEMOCRACIA - algo faltante em países governados pelo comunismo.

Não sei exatamente onde pessoas como o Sr. José de Abreu tem a cabeça, ou os olhos. Como alguém esclarecido que certamente é, deveria observar que a malta instalada no poder (e dela não excluo a chamada oposição, salvo raríssimas exceções) é quem está proporcionando ao povo brasileiro esses anos de provações. Não que o "time do Planalto" não tenha feito nada. Fizeram sim. Acontece que a politicada (o PT incluído) fez mais pelos próprios bolsos, muito mais, do que pelo país. E o resultado do descaso supera os bons resultados.

Hoje voltamos, de alguma maneira, a revestir o que dissera o Sr. Charles DeGaulle - "O Brasil não é um país sério". E isso não é desenvolvimento, é antes retrocesso.

Espero que seja uma chuva passageira, e que logo voltemos a melhores e mais vistosos patamares. E que o Sr. José de Abreu e seus pares busquem turismo em países socialistas, desenvolvam projetos lá, e sejam felizes. E parem de influenciar nossa gente ignorante, que se deixa comprar por dentaduras, colchões, mentiras divulgadas em horário nobre na TV...

Queremos democracia plena, não um totalitarismo disfarçado, em que o poder político desvia recursos, cria animosidades sociais entre suas classes, deixa medrar grupelhos terroristas como o MST e ONGs que enriquecem uns, em detrimento de todos... e deixa nossa gente morrer de fome, de sede, de falta de recursos de saúde...

Hoje eu estou azedo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...