O DESPROPÓSITO TRAVESTIDO DE JUSTIÇA? SERÁ QUE ENTENDI BEM?

Ok, Dr. Vamos combinar... que sabor de bombom o Sr. não gosta?

Não.

Não quero dizer que alguém seja estúpido, com essa crônica. Mas todos hão de concordar que nós muitas vezes adotamos procedimentos estúpidos, sem razão, como por exemplo, desviar de gatos pretos ao andar pela rua, falar ao celular enquanto se conduz um carro, espiar a mulher do próximo quando se acha que ele não está olhando...

Pois então... espero que tenham compreendido meu ponto de vista.

Mas encontrei uma bobagem de destaque lapidar - o delegado da PF lá na distante Roraima, Dr. Agostinho Cascardo me faz as honras dessa vez, ao autuar uma zeladora das instalações onde trabalha, pelo sumiço (aparentemente desapareceu goela abaixo da servidora) de UM BOMBOM.

A descuidada senhora observara a guloseima sobre a mesa e, avaliando que mal algum haveria e/ou que poderia informar o proprietário do "bem consumível" sobre a apropriação, não teve dúvidas - comeu uma das peças.

Pois bem, algumas horas depois, a serviçal seria convocada a depor, e instada a buscar onde teria descartado a embalagem do "produto", encontrou-o em alguma lixeira, e tal peça fora arrolada como "prova do crime"*.

A secional da OAB local considerou o "imbróglio" uma variante de abuso de poder. Afinal, como vamos resolver o problema dos servidores que surripiam balinhas das mesas de seus chefes??? Não é mesmo, Dr. Cascardo?

A assessoria local da PF revelou que "...talvez ela seja absolvida." Registre-se que a servidora foi demitida por justa causa - trabalhava numa empresa terceirizada, e o procedimento aconteceu sob solicitação da administração local da PF.

E o prejuízo social, a ficha registrada num B.O... quem tira, seus sabichões? Como fica a vida dessa mulher? Ela vai pagar cestas básicas pelo bombom ingerido? COM O QUE, já que está sem emprego? AH, FAÇAM-ME UM FAVOR...

PESSOAS... ME DIGAM QUE ISSO É UMA MENTIRA DESLAVADA, UM "PRIMEIRO DE ABRIL" FORA DE ÉPOCA E DE MAU GOSTO, PLANTADO NA INTERNET PARA PREJUDICAR A IMAGEM DO SR. DELEGADO!

Não acredito absolutamente nisso, deve ser uma mentira, assim que apelo a quem lê essas linhas e saiba que é inverídico que me diga a respeito, para que me retrate ou retire a crônica da rede!

Não acredito absolutamente que um homem das responsabilidades do Dr. delegado, com sua cultura e experiência, possa ter constringido uma servidora por COMER UM BOMBOM. Mais extravagante ainda acionar o aparato da Lei (aí subentendido o trabalho judicial futuro, que acontecer) por conta de um doce!!!!!

Alguém vai dizer que ela poderia pegar documentos, assim como bombons. Ok, filmassem ela então pegando documentos.

Agora vejam... se ao invés, o tal bombom estivesse dentro de uma gaveta fechada, certamente não seria consumido. Sinceramente, vejo nisso algo pensado de maneira solerte.

Dirão que o problema não é a coisa em si, mas o ato, e vou lhes obstar que chega a ser malícia expor guloseimas que não se podem ser repartidas. Além de eventualmente ser configurável o "furto famélico". Vejo com muita dificuldade a mulher, mãe de quatro filhos, como uma criminosa, capaz de surripiar coisas importantes. Até porque ela nem sabe muito a respeito (não lhe deram cópia do que assinou, quando foi ordenada a fazê-lo, e ela nem sabe o que está escrito lá). Aliás, sua ignorância sobra o que assinava, e nada ser deixado com ela denota descuido da autoridade.

Tenho feito homenagens rasgadas à PF, considero sobremaneira o profissionalismo e seriedade com que conduzem seus trabalhos. Nunca me cansarei disso, de desfilar as virtudes de servidores realmente A SERVIÇO DO BRASIL (diferentemente da turma da esplanada do Planalto).

Mas, Dr. Cascardo, se isso for verdade, e o Sr. utilizou mesmo o aparato da PF para constranger dessa maneira a servidora gulosa, o sr. leva o TROFÉU FRAMBOESA do ano!

Agora, vamos e venhamos, Dr... Se o sr. pretendeu fazer exemplo, ao justiçar a infeliz servidora, escolheu um péssimo momento. Se pretendia demonstrar o zelo do ilustre delegado com a Lei, mostrou ao invés quanto desserviço alguém pode prestar à Justiça e à sociedade, com passos aparentemente respaldados.

Por favor, Dr., me diga que isso é uma mentira deslavada, e eu retiro a crônica. PROMETO.

* Fiquei pensando depois... e se na mesma lixeira o homem descartasse as embalagens das unidades que consumisse? HEIN? Ah, Dr. Cascardo, essa derrapada foi feia... creia-me.
P.S. - nada que ele não tenha cumprido a lei, não se trata disso. Vale a comparação"quem furta uma agulha, furta um tesouro", assim sujeita-se à lei, igualmente. Penso, entretanto, que o remédio aplicado no caso foi tão despropositado quanto matar um pernilongo com um tiro de 45, só isso. Afinal de contas, tem tanta gente merecendo MOFAR na cadeia e está por aí... vamos mesmo autuar gatunos de balas de açúcar?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE MARCHINHAS DE CARNAVAL...

ERROU DE NOVO, SR. MICHEL SAAD NETO!

CURA GAY E OUTRAS IMBECILIDADES EMPURRADAS PELA MÍDIA