sexta-feira, 6 de maio de 2016

OBJETOS DE DECORAÇÃO E ALIENAÇÃO OFICIAL


Ok, então não vamos pegar essas coisas preconceituosas do resto do mundo...

Há uns dias atrás, site de notícias importante trouxe notícia de que o MPF, no Rio de Janeiro entrara com reclamatória por "dano moral e discriminação racial", contra a rede Globo. Confiram...

Alienação Social?

Porque o fizeram? Ora, ora, ora.. o "Plim-plim" deixara à mostra um ítem decorativo, que evocava as cabeleiras abundantes e estilosas do movimento "black power" (talvez James Brown e seus contemporâneos estejam de mexendo na tumba...).

Pessoas, tratava-se apenas de um ítem de DECORAÇÃO. Embora a utilidade eventual da esponja, que compunha a "cabeleira", certamente os participantes daquele programa odiento (esse sim, digno de processo*, e porque vocês não mexem nisso, MPF?) denominado BBB não a utilizariam, justamente por considerar objeto de decoração. Diz-se que internautas reclamaram.

Há o registro também de que um dos participantes da "rodada", que é negro, teria feito uma ligeiro reparo, do tipo "porque tem que ser um negro?"... e proibira os companheiros de sina de utilizar o tal dispositivo...

Bem, bem, bem...  vamos por partes, como diria Jack, o estripador.
E se fosse o "Leo" Di Caprio?     


Se ao invés de o dispositivo representar um "black power", fosse um "polaco"careca skin head? E se fosse uma bonequinha "gótica"? Será que os manés internautas reclamariam? E do que mais gostariam de reclamar?

Pelo "andar da carruagem", os artesãos de todo o Brasil que representam nossas etnias não poderão mais negociar seus produtos, se existirem representações de negros entre eles? Ou índigenas não poderão mais ser representados? Nem anões?

Gente, falemos sério. Se os ilustres representantes do MPF pretendiam alguma luminosidade sobre si, conseguiram, como se pode avaliar. Ao encampar tal feito, produziram também alguns consectários interessantes, vamos a eles:
- utilizaram seu tempo que é MUITO PRECIOSO (vide salários respectivos, disponíveis);
- o efeito prático será mínimo OU
- vão inibir nossos artesãos populares de criar e negociar reproduções de nossas etnias e do cotidiano da vida brasileira;
- não vai mudar NADA na existência do "Plim-Plim";
- o jovem negro Renan não será justiçado, até porque ele mesmo já locupletara a quota;
- os internautas, em geral alienados(assistem o BBB, pra mim é suficiente) em busca de "sangue" (adoram ver uma briguinha...) vão procurar outros pontos de discussão, para empurrar em cima do ilustre MPF;
- o Judiciário, já assoberbado com bobagens de todo o genero, terá despesas adicionais** com mais uma: obrigado, Srs. procuradores! Fizeram um desserviço ao poder, e ao país, como um todo!.
- O assunto estará esquecido dentro de 60 (sessenta) dias.

Atitudes como essas estão propondo algo absolutamente impossível de acontecer - a eliminação de preconceitos (no caso, o racial) a boticão! Observem que NEM EM SOCIEDADES MAIS DESENVOLVIDAS QUE A NOSSA isso já foi erradicado. Reconheço que todos somos iguais, mas isso é PRECEITO CONSTITUCIONAL, que PRECISA SER CIMENTADO nas cabecinhas de nossos estudantes, DESDE A PRIMEIRA SÉRIE. Qualquer outra providência nesse sentido não surtirá efeito, e/ou produzirá efeitos danosos (como o sistema de quotas, que está criando castas de estudantes e profissionais... ESPEREM PRA VER ISSO).

Gente... precisamos de um "choque" de sanidade, nesse Brasil que estigmatiza bonecos, e permite orgias, na TV.

Ah, meu Brasil!!!... Te amo, mas você, Pátria amada, definitivamente está enlouquecendo!

* o que o BBB nos oferece - gente "sem noção", em trajes sumários, quando não desnudos... trepadas, sob o singelo rótulo de "namorar debaixo do edredon"... isso pode entrar nas famílias, não é mesmo, senhoras e senhores?
** trâmites de papéis por causa de um objeto de decoração; despesas com preparos, defesas e recursos; despesas com cálculos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...