segunda-feira, 27 de junho de 2016

IMORALIDADES A OLHO NÚ... (OS IMORAIS, VERSÃO 2016)

 (...será que cabe mais um? Tem um correligionário...)


Nossa classe política não se cansa de me dar material para debate, preciso agradecer cada uma das "casas legislativas" (não dá pra chamar de bordéis, dá?), pelo fluxo ininterrupto de novidades...

Mas o que comento agora nem é novidade... Dentre outros "acima da lei", temos alguns senadores que extrapolam limites claros, sob alegações as mais pífias e/ou cômicas... Observem um exemplo:

CABIDES OFICIAIS

No acolhimento de "acessores", aqueles bravos conseguem se superar em pilantragem. Ora vejam, se o máximo é 55 (cinquenta e cinco) acessores (muitos deles "aspones", como diria um amigo meu), ao custo mensal máximo de R$ 70.000,00, como então admitir que alguém como o Exmo. Sr. Hélio José tenha 86? Ou... pior... como  se entender que o presidente do Senado tenha nada menos que 71 (setenta e um) acessores?

Meus amigos e amigas, o orçamento por senador totaliza R$ 5.964.000,00 por mes. Se cogitarmos algum paralelo com coisas REALMENTE PRODUTIVAS, teríamos perto de 240 (duzentas e quarenta) casas populares, do modelo mais caro, construídas. Se optássemos por subsidiar a Educação, com o total MENSAL apontado (notem bem!!!!), poderíamos dar melhor vida a 28.627.200 alunos - e isso pelo ano inteiro.

Se optássemos por melhorar a segurança, certamente esses quase SEIS MILHÕES mensais seriam muito bem recebidos por quem se arrisca para "represar" o mar de violência que nos rodeia e perturba.

Mas... nossos senadores... tranquilos... serenos, morando em residências pagas por nós, enviando seus filhos para estudar nas melhores escolas pagas (ou até no exterior), cercados de seguranças pagos pelo Erário... porque eles vão se importar em reduzir suas despesas, NÃO É MESMO?

Verdade que exemplos de austeridade não lhes faltam. O Sr. José Reguffe, com gabinete enxuto de somente NOVE acessores, me parece muito bom na tarefa de distribuir atribuições... Não é mesmo? PARABÉNS, Sr. Reguffe. O Brasil precisa de homens públicos como o Sr., com ciência do peso que o poder público representa sobre a nação!!!!

Perto do Sr. Reguffe, o senador Cristóvam Buarque chega a ser até perdulário, com um gabinete de 23 (vinte e tres) servidores. Mas está quase 300% distante do Sr. Hélio José...E a "distância" fica ainda maior, quando sabemos que o Sr. Hélio José loca instalação FORA do Senado, para abrigar parte de seu exército (claro, locação paga pelo erário)... Aliás, antes que me esqueça, PARABÉNS também ao Sr., senador Buarque!!! O Sr. está fazendo (boa) história, com comportamento decente e consciente de onde está.

Fico pensando de que os filhos e filhas desses senhores poderiam se orgulhar, quanto a seus pais... SEREM CORRUPTOS? (nada digno, mas, à falta de modelo próprio...)

Sabem, amigos? Nossos políticos certamente acham que são eternos. E que seus telhados de vidro, reforçados por alentadas ilicitudes do poder, resistirão ao apedrejamento que merecem, quando sua hora chegar... ELA VAI CHEGAR, creiam. O mundo moderno não admite mais safados (como se supõe, há exceções, mas tão poucas!!!!) no poder. Esse tempo, extensão abominável de sistemas feudais, está em franco processo de declínio.

E não será exceção no Brasil, minha Pátria amada, tão sofrida, tão roubada, tão espezinhada por todos, MAS, PRINCIPALMENTE, por nossa classe política.

O tempo o dirá.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

POLÍTICOS INVESTIGADOS? PORQUE NÃO PODEM IR PARA A CADEIA?


 Chamada geral, galera!!!!! (Nani, se você não concordar com o uso da charge, me avise - eu a removo)

O Brasil está assombrado.

Assombrado por dois cidadãos (assim mesmo, terminado em "ão"), que resolveram fazer valer a lei. O sr. Procurador Geral da República, Dr. Rodrigo Janot, e o Exmo. Sr. juiz Dr. Sérgio Moro, do Tribunal Regional Federal da Quarta Região, decidiram que, embora todos os brasileiros sejam iguais, perante a lei, alguns (notadamente uma galera lá do Planalto Central) eram "mais iguais", e resolveram cutucar nossa enfermidade mais agressiva e nociva - a corrupção.

Bem, bem, bem... assombrados indiciados decidiram abrir a boca, e agora está um "Deus nos acuda", nas casas do Legislativo, e em algumas instâncias do Executivo.

Não é isso mesmo que estamos acompanhando?

Mas então... a moçada sapeca e safada (a maioria, preciso pontuar, a bem dos sérios) da Câmara dos Deputados está em "panos quentes", para proteger um dos mafiosos mais importantes do atual sindicato de ladrões (ofendi alguém?)... o Sr. Eduardo Cunha, que tem contas no exterior, movimenta-as com sua própria assinatura, mas NÃO TEM. Uma prosaica dialética, se me permitem...

Mas não é só isso!!!!!! Agora, preocupados sobremaneira com seus próprios "rabos de palha" (ou melhor, de dólares, talvez), os Srs. senadores estão se organizando para oferecer resistência, caso algum deles tenha prisão decretada!!!!!

Imaginem... num sindicato de traficantes, eles se organizando para evitar que algum "colega" vá para o xilindró. Não é pitoresco o quadro?

Alguém vai contrapor que as prisões anunciadas não têm fundamento. Pois eu lhes digo, senhores deputados federais e senadores: NEM SEQUER SOMBRA DE IRREGULARIDADE DEVERIA EXISTIR, numa conduta aceitável de Vv.Excias. MAS... já que alguma fumaça surgiu... QUE SE COMBATA O FOGO, COM ENERGIA! Ademais, não creio absolutamente que o Dr. Janot seja um "porra louca". Ele sabe o que está fazendo, e com quem está se metendo (a "Máfia" mais perigosa, atualmente em atividade, do Brasil).

Pois bem, senhores senadores. TENHAM VERGONHA NA CARA. HONREM QUEM OS ELEGEU. MOSTREM QUE SÃO PESSOAS AINDA COM ALGUMA INTEGRIDADE. NÃO PROTEJAM PIRATAS, cujo bem maior a favor do Brasil não se sabe exatamente o que fizeram, mas que já enxovalharam nossa Pátria de modo tal que vai demorar muitas décadas para que mereçamos respeito da comunidade internacional.

TOMEM VERGONHA. A imoralidade que esposam é tanta, o desrespeito com nossa gente é de tal magnitude, que começa agora a ser um jogo sobremaneira perigoso, o que estão propondo fazer. Nossa gente, desesperada com décadas de mentiras, promessas descumpridas, saques repetidos em nossa vitalidade econômica, está acuada e, como fazem animais acuados... o que lhes resta é o ataque!!!!!

PENSEM NISSO. Alguém vai vociferar que estou insuflando as massas à violência. LONGE DISSO. VOCÊS ESTÃO... Depois não vão chorar, nas barras da ONU.

Ladrões, escroques, assassinos, pervertidos... um só lugar me ocorre para vocês... CADEIA.



sábado, 4 de junho de 2016

ÍTALO MORREU... UM PREÇO QUE A SOCIEDADE PAGA

Não importa a cor... são vidas!!!!
 
A semana findante trouxe muito abalo à sociedade brasileira, e em particular à população paulistana, porque um garoto de 10 (dez) anos fora baleado pela autoridade policial, quando empreendia fuga com parceiro de 11 (onze) anos. Aparentemente o guri mais novo teria atirado nos policiais, e no revide da autoridade, foi ferido fatalmente.

TERRÍVEL? É. HORROROSO, UMA CRIANÇA DE DEZ ANOS FALECER PELA ARMA DE UM POLICIAL? SIM...

Mas vamos com calma nessa análise. Sem querer me arvorar a palmatória da humanidade, antes de me deixar levar pela emoção, avaliemos friamente o quadro todo.

PRIMEIRAMENTE, os pequenos delinquentes estavam empreendendo fuga num carro ROUBADO. O que a sociedade cobraria da polícia? Que os perseguisse, na tentativa de reaver o bem subtraído. Concordam? Ah, bom... vamos em frente...

Ademais, policiais numa viatura, ao confrontarem pessoas no interior de um carro, não têm o poder de avaliar quem estão confrontando. Dizer que eram crianças é fácil, mas recebendo chumbo quente, quem vai mediar altura de delinquente, ou seu grau de amadurecimento?

SE FOSSE UMA ABORDAGEM a pé, ok. Os policiais poderiam até ser responsabilizados pelo tiro fatal. Mas os meninos estavam num carro roubado, e no calor da abordagem não há chance de algumas avaliações, que o pessoal dos "direitos dos manos" vai querer levantar.

Em SEGUNDO LUGAR, o pequeno delinquente já tinha histórico de problemas com a lei. Aqui cabem tres ponderações:
a) - lares esfacelados produzem personalidades problemáticas (já volto a falar sobre isso);
b) - vamos desconsiderar a conduta criminosa, porque o delinquente tem dez anos?; e
c) - a lei, que deve estar sendo afrontada, não tem nada a ver com isso - a lei é para todos (volto a falar disso também, adiante). E quanto à afirmação da mãe do morto, de que ele nunca usara uma arma, isso é irrelevante - quando mesmo eles começam a usar armas? Não é a partir da primeira vez?

Em TERCEIRO LUGAR, queremos ou não uma sociedade segura? Se assim quisermos, é necessário que o aparato policial infunda TEMOR e RESPEITO, no seio da sociedade. Sabem porque tantos menores afrontam tanto nossos policiais? Porque a polícia é DESRESPEITADA, NO INTERIOR DOS LARES.

Quantas vezes há ouvi gente comum chamando policiais de "porcos"? Pessoas, COMO VAMOS QUERER AUTORIDADES EFETIVAS, SE NÓS MESMOS AS DESLUSTRAMOS? Mas vou além... a polícia, e por extensão a lei, é mostrada aos filhos de muitas famílias como algo/alguém venal, que se compra por cédulas de cinquenta reais. Que se pode ralhar com a polícia, ao ser parado numa blitz. Que podemos peitar a autoridade, que os "direitos dos manos" vão nos proteger. Os meninos envolvidos no trágico episódio comentado NÃO RESPEITAVAM A LEI. Senão teriam parado, confessado humildemente suas faltas, e ido embora pra casa (afinal, a lei permite isso, que infratores menores de doze anos sejam encaminhados a seus lares...).

Ítalo morreu porque a sociedade tem montado raciocínio e aparelhamento incorretos do aparato de segurança. É mais que hora de nossa sociedade apreciar com seriedade o trabalho insano que se faz na polícia, e nossas autoridades concederem mais atenção (e orçamento) para a segurança pública, e para o aparato da lei e da ordem, no final de contas. Sob risco de, não o fazendo, gastar-se muito mais com remendos no tecido podre (não por culpa dos policiais, culpa de quem governa e decide) de nossa segurança pública, e indenizações de "vítimas" oportunistas - certamente essa senhora, mãe do pequeno Ítalo, já deve estar se mexendo para receber uma indenização pela vida do filho, a meu ver TOTALMENTE DESCABIDA, por mais motivos até do que os aqui expendidos.

Nos Estados Unidos, por exemplo, policiais que servem determinada região são conhecidos dos moradores locais, e RESPEITADOS. Há problemas lá? Claro, onde existir o ser humano, haverá problemas de enfrentamento da lei. Mas os "homens da lei" são respeitados. ... que tal se RESPEITÁSSEMOS nossos homens da lei? E se a coisa começasse desde pequenos, talvez não tivéssemos tantos traficantes, tantos estupradores, tantos pedófilos. Espero que entendam... QUEM DEVE, DEVE TEMER. QUEM DEVE, DEVE ENTENDER QUE SUA CONDUTA SERÁ PASSÍVEL DE PENALIZAÇÃO. Que crime não é uma coisinha qualquer.

Quanto às personalidades problemáticas, elas estão grassando e aumentando, porque o conceito de família está totalmente contaminado com modernidades e hedonismo. Poucos se preocupam seriamente com filhos - vale dizer, se está alimentado e não está doente, tá valendo! E esquecem que o que constrói uma personalidade é EXEMPLO, ENSINO, RESPEITO. Então, meus prezados, não esperem coisa muito boa de muitas famílias, inclusive as próximas a vocês!!!!! A não ser que tudo mude, em termos de orientação familiar. O que se esperar do filho de delinquentes?

A lei É PARA TODOS. Há uma senhora, Dra. Luislinda Valois, desembargadora aposentada (acho), negra, que reclama numa propaganda política qualquer que "mata-se negro por aí como quem mata frango". Preciso ponderar à prezada juíza que matam-se negros, índios, brancos, indiscriminadamente. A questão racial no Brasil é ridiculamente secundária, se considerarmos o que acontece AINDA, nos Estados Unidos, por exemplo. Dizer que negros são mortos chega até a desmerecer famílias de brancos, ou índios, ou outros descendentes, que são mortos, violentados, agredidos todos os dias. O que vai fazer isso parar é CULTURA - isso é o que falta. Não é legislação (que, repito, é para todos), nem protestos. CULTURA. Cultura moral e social (a se ensinar no interior dos lares), cultura geral de boa qualidade, a ser ensinada nas escolas.

Aliás, só estúpidos de pai e mãe para não verem que nossa gente brasileira é mais negra ou afro-descendente do que branca, ou índia, ou amarela!!!!! Tenho certeza de que a miscigenação já ultrapassou os 50% a favor de nossos irmãos de pele escura... Então, assertivas sobre negros (ou afro-descendentes) no Brasil só farão crescer, por razões totalmente óbvias.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

O MITO FALA...


Avaliem essa matéria, de lavra do ilustre deputado, capitão Jair Bolsonaro, publicada na coluna "Opinião", do jornal "Folha de São Paulo", edição de 24.02.2000.

Guerrilheiro de festim


Não venham agora com lengalenga, querer contar lorotas na busca da compaixão e de votos



JAIR BOLSONARO

Retardei minha saída de casa no dia 27 de janeiro, já que o telejornal "Bom Dia Brasil" anunciava o nobre deputado José Genoino para uma entrevista já gravada. Quando esse espaço caro é ocupado por políticos, eles são ou governistas ou opositores que no passado eram conhecidos pelo jargão sindicalista como pelegos.
Não cabe a mim tecer comentários pelo fato de o ilustre petista começar dizendo que não acredita em Deus. É um direito dele falar. Tal afirmativa até se mostra como um ato de coragem, diante de um povo que não acredita em quase nada, a não ser em Deus.
Mas posar de herói durante a entrevista, pelo seu passado de pseudoguerrilheiro, agredindo o Exército brasileiro pela passagem no Araguaia, isso merece muitos reparos.
Genoino afirma que por dois anos pegou em armas, mas não disse o que fez nesse período. Desconheço que qualquer homem, "sem porte", tenha feito alguma ação social com um "trabuco" na mão. Seus colegas, no vale do rio Ribeira, em 1970, aprisionaram um jovem tenente da Força Pública de São Paulo, de apenas 22 anos de idade, de nome Alberto Mendes Júnior, e após mais de três dias de tortura executaram-no a golpes de paus e coronhadas de fuzil. Era o grupo de Lamarca, herói nacional na concepção de Genoino e do seu PT. Antes, alegaram os executores que invocaram o "tribunal de honra" para decidir a pena de morte por pauladas, pois até aquela data as execuções eram feitas por armas de fogo.
Esse fato, pouco explorado pela mídia, bem mostra quem eram os que queriam mudar o regime pela força.
Nosso guerrilheiro em questão foi preso armado com um revólver, no Araguaia, onde 16 militares foram mortos pelo grupo a que Genoino ia se integrar. Logo ninguém estava lá para brincadeiras, e cada prisioneiro feito pelo Exército tinha, como não podia ser diferente, o seu tratamento. Genoino, em especial, foi muito dócil desde o princípio. Nenhuma medida, além do diálogo, foi necessária para que toda a missão fosse por ele revelada, e, graças a Deus, tal episódio marcou o início do fim da guerrilha, pois as informações recebidas foram vitais para o desmantelamento de aparelhos da esquerda.
No artigo "A dor do passado" ("Tendências/Debates", 2/2), Genoino afirma que citou nomes de companheiros que, uma vez detidos, não comprometeriam a guerrilha, posando de "esperto" quando, na verdade, assumiu ser "mais ou menos" delator. Não foi preciso nenhum ato de força para tirar tudo do jovem que achava poder, pelas armas, comunizar o Brasil, a exemplo de Cuba.
Os leigos que desconhecem, mesmo em relatos, os horrores de uma guerra convencional estão longe de ter a noção do que seria uma guerra de guerrilhas, na qual os guerrilheiros, nas horas difíceis, quase sempre fazem de escudo a população inocente que dizem defender. A tortura é diferente do espancamento. A primeira, em todas as formas, tem sido sempre arma de guerra largamente utilizada em todos os conflitos havidos no mundo; ainda é assim e sempre será. Aquele que deflagrou a guerra suja, que torturou e executou, tem que aceitar o mesmo remédio, pois os termos do enfrentamento foram por ele lançados. Não venham agora com lengalenga, querer contar lorotas na busca da compaixão e de votos.
O Brasil não pode continuar sendo o único país no qual os derrotados é que passam a escrever a história, veiculando sua versão mentirosa sobre os fatos.
O verdadeiro guerreiro, como o tenente Alberto Mendes Júnior, mesmo torturado e covardemente executado, morreu com dignidade, lutando contra os seguidores de Cuba e da Albânia. Já os falantes guerrilheiros de festim do passado, hoje, estão muito bem, obrigado, e até choram copiosamente quando recebem um telefonema de um auto-exilado que, em cinco anos de governo, só desnacionalizou o Brasil e empobreceu o seu povo. Triste sorte a de um grande país em ser assim vendido e traído!
Nosso compromisso é com o Brasil, sua soberania e sua grandeza, e com o povo, seu bem-estar e a sua felicidade. Por isso lutamos com todo o rigor.


Jair Bolsonaro, 44, capitão da reserva do Exército, é deputado federal pelo PPB do Rio de Janeiro.

QUANDO A INTELIGÊNCIA ENCONTRA A ALIENAÇÃO

Com muito prazer republico um texto profundíssimo, que pode divertir, e vai trazer muita luz, sobre o momento político que vivemos. É ...