SAI "CORONÉ"... ENTRA "CORONÉ"...


Após curtíssima celeuma, os srs. senadores elegeram quem os há de presidir, para o biênio em começo.

O Sr. Eunício Oliveira, amigo (claro, não é mesmo?) do Sr. Renan Calheiros (seu antecessor), fora eleito, com 61 (sessenta e um) votos, contra 10 (dez).

Algumas coisas eu não entendo... Se são OITENTA E QUATRO senadores, onde estão os outros 13 (treze) votos? OK, compreendo que há afastamentos... mas TANTOS?????

Claro, os afastados continuarão recebendo seus alentados subsídios (não se pode chamar de salário, salário ganha quem trabalha, não é mesmo?) ainda que afastados. A lei (esse simulacro de legislação que protege nossos políticos, pelo menos) lhes garante essas coisas...

(Queria ver os proletários decidindo se afastar por uns dias, assim, sem mais nem menos, pra ver o que o empresariado iria fazer com eles...)

Mas isso não é o foco de minha crônica de hoje. Depois de longo silêncio, com tribulações mil assolando esse escriba, preciso comparecer com algo realmente importante.

E me resolvo a falar da desfaçatez de nossos homens públicos, no caso em tela nossos senadores.

Meus amigos... o homem tem contra si acusações (assim como o retirante, Sr. Calheiros). O que se faz? ELEJA-SE O HOMEM!

Sabem? Diga quem quiser o que for, mas é mais um tapa na cara de quem elege nossos homens públicos - algo do tipo "nós colocamos aqui quem quisermos, não interessa o conceito que pareçam ter". Um acinte ao detalhe significativo de que muitos daqueles vetustos senhores (e isso inclui o Sr. Oliveira) constam do rol de implicados em favorecimentos ilícitos, de que agora vamos tendo notícia.

Alguns vão contrapor que o homem não foi acusado formalmente, e/ou nem condenado. Mas é no mínimo imoral que alguém com um "senão" em sua vida pregressa seja alçado a cargo de tal importância - presidente do Senado Federal, somente por seu trânsito político, ignorado o libelo que certamente lhe caberá enfrentar.

Vivemos tempos estranhos, em que homens "menos" culpados são digno, homens "mais aquinhoados" são dignos, homens "famosos" são dignos. O conceito de dignidade se esvazia a cada volta que a terra dá.

O Sr. Eunício de Oliveira, antes de assumir alguma coisa de importância, no âmbito do poder, deveria primeiro se assegurar de que não está coberto pela lama que invade cada rincão do Planalto Central.

(e isso serve para TODOS OS DEMAIS, senadores, deputados federais ou estaduais, vereadores...)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESCOLAS DE DELINQUENTES

ERROU DE NOVO, SR. MICHEL SAAD NETO!

DE MARCHINHAS DE CARNAVAL...